No palco, diferentes estilos de dança refletindo a cultura brasileira: afro, jazz, hip hop, street dance, clássica e forró. O protagonismo das coreografias é dos estudantes de sete colégios da rede estadual, que participam nesta quarta (11) e na quinta-feira (12), das 9h às 18h, da 6ª Mostra de Dança da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), no auditório da instituição, integrando as comemorações do Dia Internacional da Dança (29 de abril). Os alunos das escolas estaduais que estão se apresentando fazem parte do projeto estruturante de Dança Estudantil (Dance) da Secretaria da Educação do Estado.

O grupo de dança Black Dance, formado por estudantes do Colégio Estadual Elisabeth Veloso, no bairro Cabula VI, em Salvador, apresentou a coreografia “Trio metal”, trazendo a expressão corporal no ritmo da música carnavalesca. Antes de entrar em cena, as alunas Nicole Bastos e Thaila Souza falaram sobre a emoção de mostrar os seus talentos e a importância da dança como uma expressão. “O que nós fazemos é arte e a dança é uma forma de expressão que precisa ser difundida e valorizada como as demais expressões artísticas, principalmente agora estão tentando tirar o registro profissional dos artistas. Estarmos aqui é um momento importante para mostrar o que sabemos fazer e, também, para conhecer o que outros colegas estão produzindo na dança”, disse Nicole. Thaila completou: “Sair dos muros da escola faz com que a gente cresça como dançarinos”.

Lilian Jatobá, participante da Oficina de Dança do Colégio Estadual Carneiro Ribeiro – Escola Parque, se apresentou em duas coreografias nos estilos de dança afro e dança do ventre. “Esta é uma oportunidade ímpar de incentivar as artes no meio estudantil e mostrar o que a dança pode fazer de bom na vida de uma pessoa. No meu caso, a dança me resgatou de uma depressão e hoje estou aqui apaixonada por esta arte, em especial a dança afro, com a qual me identifiquei”.

A coordenadora dos projetos intersetoriais da Secretaria da Educação do Estado, Nide Nobre, destacou a importância do protagonismo estudantil na mostra de dança realizada pela Assembleia Legislativa. “Para os estudantes da rede estadual, estar participando deste espaço é muito importante porque a dança é um modo de ser e de se comunicar. Por aqui vão passar todos os estilos de dança; várias instituições de dança, públicas e privadas; e profissionais da dança do mais alto gabarito. O projeto Dance, da Secretaria da Educação, nasceu daqui, de uma experiência na Assembleia Legislativa, quando percebemos que os alunos não queriam ser só plateia, eles queriam subir no palco. A dança envolve a escola nova do século XXI e do Currículo Bahia, que incorporam o estudante como protagonista de suas criações coreográficas”, afirmou.

A professora de Arte do Elisabeth Veloso, Francine Costa, e idealizadora do Black Dance, junto aos estudantes, enfatiza a importância de levar a dança de rua para além dos muros da escola. “Temos uma relação direta da dança com a interpretação teatral, inserindo temas sociais em nossas apresentações. A Assembleia Legislativa é uma casa que acolhe o nosso projeto e esta mostra que acontece aqui há seis anos é uma oportunidade de evidenciar o trabalho de arte-educação que é realizado nas escolas da rede, trazendo o protagonismo juvenil e a dinamização da cultura em nossa sociedade”.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado