Para celebrar o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, comemorado nesta segunda-feira (2), o Centro de Atendimento Educacional Especializado Pestalozzi da Bahia, unidade da rede estadual de ensino, localizada no bairro de Ondina, em Salvador, realizou diversas atividades envolvendo as famílias. A programação contou com encontro de pais, com palestra, biblioteca móvel e sessão de terapia com cães.

De acordo com o diretor do centro, Ricardo Baqueiro, a data é muito importante, pois visa a conscientização de todos sobre o autismo. “Esta é uma causa mundial e que deve ser abraçada por todos. O preconceito tem diminuído, mas ainda existe e, por isso, precisamos continuar chamando a atenção da sociedade, para mostrar que o autista é capaz de desenvolver várias habilidades e é um sujeito de direitos. Estamos de mãos dadas com as famílias para garantir a aprendizagem dos nossos estudantes”, destaca o gestor.

Durante todo o dia, os estudantes participaram de brincadeiras e atividades lúdicas na Biblioteca Móvel disponibilizada pela Fundação Pedro Calmon e de uma sessão de terapia com cães do Projeto Patas que Amam, do Grupo Especial da Policia Militar e da Companhia de Operações com Cães (COC), do Canil do Batalhão. Outro destaque foi a palestra “Autismo e Inclusão” voltada para os pais, ministrada pela psicóloga Julie Ane.

Para Scheila dos Santos Costa, que é mãe do autista Murilo Costa Conceição, 9 anos, o centro vem transformando a vida de seu filho. “Meu filho é atendido no Pestalozzi desde os quatro anos de idade e venho percebendo bastante evolução. Estou muito satisfeita com os serviços oferecidos, pois o Centro possui diferentes metodologias que fazem com que os alunos autistas absorvam os conhecimentos com mais facilidade. Além disso, os pais possuem um ótimo apoio dos profissionais por meio de palestras, terapias, atividades artísticas e todo o acompanhamento que necessitamos”, revela.

Sheila também informa que o desenvolvimento de seu filho tem sido surpreendente. “Murilo foi mordido por um cachorro quando tinha cinco anos e acabou ficando um pouco traumatizado, pois quando vê um cachorro ele começa a gritar. Hoje, ele participou da terapia com cães e seu comportamento foi totalmente diferente, porque ele interagiu amigavelmente com o cachorro e estou muito feliz com isso”, diz, emocionada.

O Centro de Atendimento Educacional Especializado Pestalozzi da Bahia, que funciona desde 1954, atende atualmente 267 alunos. A instituição conta com 22 salas para Atendimento Educacional Especializado (AEE) e desenvolve diversos serviços como informática, artes, horta, Educação Física, música, letramento e, também, atendimento direcionado ao pais, com apoio de especialistas.


Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado