Trechos como "sou camelô, sou do mercado informal, com minha guia sou profissional", de Camelô, ou "quero o meu direito de crescer na vida", de Meus Direitos, canções do artista Edson Gomes, serão a trilha da ‘Roda Música Conversada’, que será realizada pelo Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS), nesta quarta-feira (18), às 15h, na prévia da abertura oficial da Micareta de Feira, na rua Geminiano Costa, 255, Centro, em Feira de Santana.

O evento terá a participação do cantor Jeremias Gomes, filho de Edson, que cantará as canções do pai e fará reflexões com o público presente sobre como as letras que dialogam com contextos de violação de direitos sofridos por pessoas em situação de rua. A roda de música ocorre como encerramento do ‘Projeto Samba, Suor e Redução de Danos’, realizado pela Corra pro Abraço com as pessoas assistidas pela iniciativa em Feira de Santana, que durante este mês usa como metodologia a análise de letras e canções para trabalhar conceitos de cidadania, promoção de direitos e redução de danos físicos e sociais.

"A atividade será aberta ao público. Quem quiser pode somar e refletir conosco. Entretanto, os convidados oficiais são os nossos assistidos", explica a supervisora de campo do Corra pro Abraço em Feira de Santana, Janaína Palma. A superintendente da Superintendência de Políticas sobre Drogas e Acolhimento e Grupos Vulneráveis (Suprad), Denise Tourinho, destaca que "a música se apresenta nesta atividade como instrumento de arte-educação, mas, sobretudo de redução de danos. E a contribuição de artistas nesta causa, acreditando nesta estratégia, é muito importante para darmos visibilidade à esta prática de promoção de direitos".

O Corra pro Abraço é gerido em Feira de Santana pela Associação Cristã Nacional (ACN). O programa tem o objetivo de promover cidadania e garantir direitos de pessoas que fazem uso abusivo de drogas em contextos de vulnerabilidade, ou afetadas por problemas relacionados a criminalização das drogas, baseado nas estratégias de Redução de Danos físicas e sociais. A iniciativa aproxima seus beneficiários das políticas públicas existentes uma vez que o estigma e as desigualdades interferem em suas capacidades de busca, acesso e acolhimento pelos serviços públicos.