Bom humor e uma reflexão bem irônica sobre os diversos temas e afetos do mundo atual -família, estudo, trabalho, política, amor e sexualidade. Nestes sábado e domingo (7 e 8), a Quatro Produções Artísticas leva ao município de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, o espetáculo ‘Entre Nós’, que foi selecionado pelo Edital Setorial de Culturas Identitárias 2016, do Fundo de Cultura da Bahia, e apresentado para mais de 30 escolas, 17 teatros, dois países, 17 cidades, em nove estados brasileiros, somando um público de 100 mil pessoas.

Com texto, direção, iluminação e figurino de João Sanches, a peça traz à tona o tema diversidade e discute o respeito às diferenças. No elenco, Igor Epifânio e Anderson Dy Souza interpretam o papel de atores que tentam inventar na hora uma história de amor entre dois jovens gays. Para isso, enfrentam uma série de situações conflitantes e engraçadas até decidirem o destino dos personagens Rodrigo e Fabinho.

Os momentos são pontuados pela trilha sonora executada ao vivo pelo músico Leonardo Bittencourt, que também assina a direção musical. Com entrada a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), as duas apresentações ocorrem no auditório do Cemae, às 17h, e contarão com tradução em libras para o público surdo.

Espetáculo Entre Nós
Foto: Divulgação/Secult

“O espectador sempre nos emociona. As reações apaixonadas da plateia nesses anos foram muito surpreendentes e continuam sendo. A aceitação entusiasmada do público talvez seja o que pode haver de mais gratificante para um artista. Além disso, acredito que todos avanços nos direitos humanos são conquistas que demandam empenho permanente e, por isso, vale sempre a pena continuar promovendo a reflexão, o respeito e o amor”, afirma o diretor do espetáculo João Sanches.

A obra ganhou três categorias do Prêmio Braskem de Teatro (Melhor Texto, Melhor Espetáculo e Melhor Ator) e segundo Sanches, tem proporcionado momentos muitos felizes à equipe. “Viajamos o País inteiro. Fizemos temporadas no Rio, São Paulo, apresentações no Acre, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Paraná, e em diversas cidades do interior da Bahia. Tivemos a honra de participar de muitos Festivais de Teatro e, entre eles, o Festival Internacional de Teatro Hispânico, que ocorre anualmente em Miami (USA)”, diz Sanches.

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é administrad pelas secretarias estaduais de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz). O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação –‘ Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos’; ‘Eventos Culturais Calendarizados’; ‘Mobilidade Artística e Cultural’ e ‘Editais Setoriais’. Mais detalhes podem ser acessados no site da Secult.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)