O Serviço de Atenção a Pessoas em Situação de Violência Sexual, conhecido como Projeto Viver, reforça a atuação da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS) no combate a exploração e violência sexual, e integra o Plantão Integrado, promovido pelo órgão, durante o Carnaval 2018, com ações de acolhimento às vítimas e suas famílias.

O Viver funciona diariamente, das 8 às 17h, no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), no Vale dos Barris. “É um trabalho de acolhimento e acompanhamento das pessoas em situação de violência sexual. Por isso, a atuação é feita de forma articulada e parceira com toda rede de atendimento – IML, delegacias, instituições de saúde, de assistência social, de defesa jurídica e outros garantidores de direitos, com o Ministério Público e Defensoria Pública”, explica a superintendente de Assistência Social da SJDHDS, Leísa Mendes.

Durante este Carnaval, a exemplo do que ocorreu em 2017, o serviço está em pleno funcionamento e oferece o acolhimento às crianças e adolescentes, mas a qualquer pessoa que tenha sofrido violência sexual. O projeto possui uma equipe formada por médicos, assistentes sociais e psicólogos, além de oferecer medicamentos, como coquetéis para doenças sexualmente transmissíveis e pílulas do dia seguinte, gratuitamente.
O Plantão Integrado conta ainda com o reforço da Casa Abrigo, voltada às mulheres vítimas de violência doméstica e de gênero com risco de morte, funcionando 24h.

Disque 100

A exploração sexual é crime e pode ser denunciada pelo Disque 100, que funciona em parceria com a SJDHDS, e também recebe denúncias de abuso contra crianças e adolescentes, trabalho infantil, violação dos direitos dos idosos, pessoas com deficiência e violência contra LGBT. Durante todo o Carnaval, as denúncias também poderão ser feitas no Plantão Integrado, coordenado pela SJDHDS, instalado na sede do Procon, localizada na Rua Carlos Gomes.

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS)