O Carnaval da Cultura promete envolver baianos e turistas com uma variedade de emoções, que vão desde a descontração e irreverência características da folia, até a reflexão e despertar para a necessidade de luta. Com o tema ‘220 anos da Revolta dos Búzios – Igualdade e Liberdade’, referências e valores do importante acontecimento histórico inspiram a decoração do Pelourinho e a concepção dos projetos desenvolvidos pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), durante os dias de festa.

Em uma época de intolerância entre os mais diversos segmentos da sociedade, lembrar dos quatro heróis e mártires da Revolta do Búzios, Lucas Dantas, Manoel Faustino, Luiz Gonzaga e João de Deus, em plena folia de Momo, é trazer à reflexão de se brincar o Carnaval sem esquecer de reverenciar a história de luta de um povo. Eles conclamavam liberdade e igualdade há 220 anos, e hoje, o Carnaval da Cultura prima pela diversidade na qual o baiano e o turista aproveitam a festa em pé de igualdade e com liberdade de escolha do que curtir.

Carnaval Olodum
Olodum, um dos blocos afro apoiados pelo Carnaval Ouro Negro, animará os foliões no Centro Histórico.

Opções não faltam para brincar o Carnaval, seja com os blocos apoiados pelo Ouro Negro, projeto que este ano completa 10 anos de sua criação; pelos artistas que irão tocar para o público pipoca, com os microtrios e nanotrios; ou nos largos do Pelourinho, com shows de variados estilos musicais, além das apresentações de bandões, fanfarras e artistas em desfiles no sobe e desce das ruas.

Abertura do Carnaval do Pelô

Na noite de sexta-feira (8), a abertura do Carnaval do Pelô terá o comando de uma das mais belas e fortes vozes que representam a Bahia, Lazzo Matumbi, que com diversos clássicos que marcaram época, apresenta um repertório que versa sobre liberdade, igualdade e resistência. Entre os títulos que não devem faltar no show, canções como ‘Alegria da Cidade’ e ’14 de maio’.

Juntando-se num ato de honra aos quatro heróis revolucionários símbolos da Revolta dos Búzios, o ator Dody Só realiza a leitura dramática de um manifesto, complementada por canções sobre o marco histórico consagradas pelo bloco afro Olodum, na voz do cantor Lazinho, e pelo Ilê Aiyê, interpretada por sua vocalista Iracema.

Carnaval lazzo
Uma das mais belas vozes que representam a Bahia, Lazzo Matumbi,abre o Carnaval do Pelô nesta sexta.

O Carnaval no Centro Histórico de Salvador fica ainda mais diversificado com a participação das atrações contratadas, por meio do edital Pelô e Pipoca. Foram 73 atrações selecionadas para compor os cinco dias de programação. O palco principal da festa, no Largo do Pelourinho, será por mais um ano o cenário de encontros musicais surpreendentes que prometem fornecer momentos memoráveis na folia.

Entre os encontros, o cantor e compositor Mateus Aleluia, remanescente do grupo Os Tincoãs – um dos mais importantes na história da música negra brasileira – se reúne com cantoras de outras duas gerações posteriores, a maranhense Rita Benneditto e a baiana Ana Mametto, ambas também com trabalhos de conexão com a religiosidade africana. O show se chama Folia Afro Brasileira, e será apresentado no domingo de carnaval, às 20h.

Também se misturam na programação os artistas e bandas Afrocidade, Luedji Luna e Xênia França; Alexandre Leão, Moreno Veloso e Davi Moraes; Ronei Jorge, Giovani Cidreira e Maglore; Riachão, Ana Paula Albuquerque e Paulinho Timor E Os Bambas de Sampa; Claudia Cunha, Manuela Rodrigues e Sandra Simões; Mazzo Guimarães, Luciano Salvador Bahia e Simone Mota; Aloísio Menezes, Hugo Sanbone e Márcia Rejane; e Luciano Calazans, Fernando Nunes e Gigi Cerqueira. Leia mais no site da Secult.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)