Peritos da Coordenadoria Regional de Polícia Técnica (CRPT) de Euclides da Cunha, no nordeste da Bahia, elaborou o primeiro laudo de antropologia forense da unidade. Através de uma ossada encontrada na zona rural de Ribeira do Pombal, a equipe realizou exames que determinaram a causa morte, apontando as armas utilizadas e em que período o fato ocorreu.
A perícia na regional se tornou possível graças ao último concurso público promovido pelo Governo do Estado, que garantiu a formação completa da equipe com a chegada de uma perita odonto-legal e ampliação dos serviços prestados com a chegada de mais peritos médicos, criminais e técnicos.
“Ter os profissionais na própria regional facilita muito nossa atuação. Nós podemos conversar com os colegas que trabalham na cena de crime e estamos mais próximos das famílias. Isso dá mais celeridade ao trabalho e descentraliza a perícia”, afirma Suzana Maciel Carvalho, perita odonto-legal empossada em junho deste ano, ao explicar que antes os corpos tinham de ser enviados para Juazeiro.
Atuaram ainda neste caso o perito médico legista Wilson Brandão Ribeiro, o perito criminal Adailton Celestino e a perita técnica Valéria Pereira Alves, que também tomou posse em junho e realizou a identificação necropapiloscópica no corpo.
Além do primeiro laudo de antropologia, a CRPT identificou outros dois corpos por meio de fotografias do sorriso. “A complementação do quadro faz com que possamos aumentar a oferta do serviço e qualifica a produção da prova material”, destaca o coordenador de Euclides da Cunha, Wesley Lima. 
Fonte: Ascom/DPT