Mais de 600 estudantes de oito colégios estaduais de Lauro de Freitas, Dias D´Ávila, Ipirá e Candeias participaram da aula inaugural do MedioTec nesta segunda-feira (4), no Instituto Federal da Bahia (Ifba) de Lauro de Freitas. Os cursos, da área de Tec­no­logia da In­for­mação, na mo­da­li­dade con­co­mi­tante, vão começar no próximo dia 11 e têm duração de 18 meses, beneficiando cerca de cinco mil es­tu­dantes do En­sino Médio, em 44 ci­dades do in­te­rior da Bahia.
O programa, uma ação do Ministério da Educação, no âmbito do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC), está sendo realizado na Bahia a partir da parceria entre a Secretaria da Educação do Estado e o Ifba. Presente à aula inaugural, o subsecretário da Educação do Estado, Nildon Pitombo, destacou a importância da parceria com a rede Ifba. 
“Isto tem um grande significado, pois amplia a oferta de Educação Profissional de nível médio para que os estudantes possam se sentir identificados com um rumo profissional, qualquer que seja ele. A parceria com o Ifba, que tem uma trajetória gigantesca em formação profissional da juventude, é extremamente importante para a perspectiva de inclusão e da formação da juventude. A outra questão é o Plano Estadual de Educação que diz que teremos que profissionalizar um maior número possível de jovens”, afirmou Pitombo. 
 
O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica do Estado, Durval Libânio, acrescentou que “a meta do Governo do Estado é atingir os 417 municípios baianos com o MedioTec até o final de 2018. A parceria com o Ifba vai contribuir para alcançarmos toda a juventude baiana”.
 
MedioTec 
Participaram da aula inaugural alunos dos co­lé­gios es­ta­duais Al­fredo Agos­tinho de Deus, Francisco Pereira Franco, Hermano Gouveia e Kleber Pacheco (Lauro de Freitas), Luís Moura Bastos (Dias D´Ávila) e Maria Bastos Melo e Monsenhor Alcides (Ipirá) e Ouro Negro (Candeias). 
O programa tem como objetivo proporcionar aos estudantes do 2º ano do Ensino Médio uma formação profissional e ampliar as chances de inserção no mundo do trabalho, seja como emprego formal ou por meio do empreendedorismo, a partir de cursos técnicos, com aulas no turno oposto ao ensino regular.
 
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado