Com o objetivo de fortalecer a política educacional do Ensino Médio, respeitando às especificidades e singularidades dos Territórios de Identidade da Bahia, o último ciclo da série ‘Seminários Territoriais: Ensino Médio em debate’ foi realizado nesta segunda-feira (18), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. 
Com gestores, professores, estudantes e funcionários de unidades localizadas nos 13 municípios do Núcleo Territorial de Educação de Salvador e Região Metropolitana (NTE 26), os debates abrangeram temas sobre a reforma do Ensino Médio e o currículo escolar. A abertura foi marcada por apresentações artísticas de estudantes dos colégios estaduais Eduardo Baiana e Cosme de Farias.
A diretora de Ensino Médio da Secretaria da Educação do Estado, Tereza Farias, fez um balanço dos encontros realizados em todo o Estado. “Com o 27° Seminário Territorial Ensino Médio em Debate, realizado no NTE 26, concluímos o primeiro ciclo de diálogo com os 945 atores territoriais que estiveram presentes nos 27 NTE, compreendo melhor a Lei 13.415/2017 e construindo elementos constitutivos para a Implementação das Novas Arquiteturas Curriculares para o Ensino Médio na rede estadual da Bahia. Os Seminários serão sistematizados na Revista Virtual do Ensino Médio Baiano, a ser lançada na Jornada Pedagógica 2018”, relatou.
A diretora Liliane Fonseca, do Colégio Estadual Helena Matheus, em São Cristóvão, destacou a importância do encontro. “É fundamental essa discussão porque nos esclarece sobre os diversos pontos que estão inseridos nesta transição do Ensino Médio. Isso também proporciona dialogar com todos os envolvidos a necessidade de fortalecer a identidade de cada escola e os interesses de cada segmento”, afirmou. 
Para o presidente da Associação de Grêmios Estudantis de Salvador, Rafael Paiva, 17 anos, o convite para participar do debate mostra o interesse da secretaria em ouvir aqueles que estão no dia a dia da educação. “Foi muito gratificante estar neste encontro e poder conversar sobre os nossos interesses. A Secretaria da Educação do Estado está buscando saber o que cada agente da comunidade escolar tem a dizer e a contribuir”. 
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado