Gestores de Pontos de Cultura, dos Centros de Cultura e da Territorialização vão se reunir para discutir o tema ‘Políticas Culturais: Cidadania, Território e Municípios Culturais’ no terceiro módulo do Seminário Cultura Viva, na próxima quarta-feira (13), a partir das 9h. Promovido pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), o evento acontece no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT), no bairro de São Marcos, em Salvador, e terá transmissão online.
 
Na ocasião, a secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana, vai falar sobre a ‘Cultura da Bahia sob a perspectiva cidadã: acessibilidade e territorialização da cultura’. Já o superintendente da Sudecult, Sandro Magalhães, mediará a mesa de abertura, que terá como tema ‘Políticas Culturais: Cidadania e Territórios’, com as participações de representantes da Comissão Estadual dos Pontos de Cultura, do Conselho Estadual de Cultura e outros convidados
 
As diretorias que fazem parte da estrutura da Sudecult apresentarão as devolutivas nas demais mesas da programação. A Diretoria de Cidadania Cultural (DCC) falará sobre a ‘Governança da PNCV: Gestão da rede de Pontos de Cultura da Bahia’; a chamada pública Ocupe Seu Espaço será o centro da apresentação promovida pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC); por fim, a Diretoria de Territorialização da Cultura (DTC) realizará o lançamento do Panorama e Municípios Culturais.
 
O Seminário Cultura Viva é uma ação de articulação, mobilização e capacitação para os gestores de Pontos de Cultura. Trata-se de uma convocatória para alinhamento dos instrumentos institucionais, jurídicos e orçamentários disponíveis para execução desta, que é uma importante ação da Política Nacional de Cultura Viva do estado.
 
Duas edições do seminário foram realizadas em 2017. A primeira ocorreu em fevereiro, com o tema ‘Prestação de Contas face à IN MINC 08/2016’, e a segunda em maio, discutindo ‘Boas práticas da Comunicação em rede’. Os inscritos podem interagir por meio das salas de videoconferência do IAT e redes sociais.
Fonte: Ascom/Secult