Um curso de capacitação de merendeiras está sendo realizado pela Secretaria da Educação do Estado, neste mês, com o objetivo de aprimorar os conhecimentos e habilidades dos profissionais manipuladores de alimentos nas escolas da rede estadual. A atividade já envolveu merendeiras das cidades de Lauro de Freitas e Candeias e será extensiva a outros municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Na programação constam palestras, rodas de conversas, informações sobre noções de biologia, saúde do trabalhador, manipulação de alimentos, higienização dos alimentos e do local de preparação, estocagem e trocas de experiências.

“Essa capacitação visa melhorar a execução das atribuições desses profissionais no ambiente de trabalho, além de dar segurança na hora de realizar suas atividades e ter mais embasamento na hora de manusear os alimentos, cuidar do ambiente de trabalho e até saber lidar com os estudantes, além de valorizar o profissional”, explica a coordenadora de Alimentação Escolar da secretaria, Maria Izabel Cartaxo.Ela informa que em Candeias e localidades próximas, a capacitação contou com a participação de 26 profissionais manipuladores de alimentos das 12 unidades escolares da rede estadual e em Lauro de Freitas. A ação beneficiou 33 merendeiras de oito unidades escolares.

Merendeiras
Foto: Divulgação/Educação

Dona Nairan Rebeca Martins, 38 anos, cozinheira no Colégio Estadual Luiz Viana Filho, em Candeias, salientou a importância da iniciativa. “Esta capacitação só vem acrescentar coisas boas à nossa profissão. Atividades assim aprimoram os conhecimentos que já executamos no cotidiano e nos deixam estimulados com o trabalho, querendo colocar em prática o que aprendemos aqui”.

Telma Leal, 32, merendeira no Colégio Estadual Ouro Negro, também em Candeias, ficou igualmente motivada. “Confesso que estava ansiosa por esta capacitação, porque nós buscamos trabalhar corretamente no dia a dia, mas aprender com um profissional qual a melhor forma de execução da atividade nos dá uma certa segurança na realização das nossas atribuições. Também é uma forma de valorizar nosso trabalho”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado