Conhecer os seus direitos e saber quando deve denunciar o agressor. Esses foram os assuntos apresentados para um grupo de aproximadamente 80 moradoras do bairro do Calabar, em Salvador, na tarde desta segunda-feira (4). O encontro foi promovido pela Base Comunitária de Segurança (BCS), com apoio da Operação Ronda Maria da Penha (ORMP).
Realizada pela subcomandante da ORMP, capitã Ana Paula Costa de Queirós, a apresentação abordou a cultura do machismo, da mulher sendo tratada como objeto de posse do homem e de como mudar esse conceito. "Temos que aprender a dizer não. O homem tem a crença de que pode ser violento com a mulher e isso precisa ser mudado", destacou a militar.
A capitã comentou ainda sobre os prejuízos de fazer tudo para manter o relacionamento. "É aquela ideia do felizes para sempre. Se a vida a dois está ruim, temos que enfrentar e colocar um ponto final", reforçou Ana Paula, acrescentando que 5.760 mulheres são agredidas por dia no Brasil.
Acompanhamento
A comandante da BCS Calabar, capitã Aline Muniz, contou que 22 mulheres – sete com medida protetiva estabelecida pela Justiça – são acompanhadas por guarnições da unidade. "Sempre que recebemos uma denúncia ou registramos ocorrência de violência contra mulher, nós passamos a fazer visitas frequentes, dando o apoio e se preciso intervindo". 
A oficial relatou ainda que os casos aumentam nos finais de semana. "Quando entra o componente da bebida alcoólica, as coisas pioram", lamentou. O evento foi encerrado com o sorteio de 50 cestas básicas.
Fonte: Ascom/SSP