Priscila Vaz é uma das bailarinas do Balé Folclórico da Bahia (BFB), única companhia profissional de dança folclórica do país em atividade. Com o grupo, ela já percorreu o país e realizou turnê em outros países. A trajetória de Priscila foi iniciada no Colégio Estadual Professora Candolina, localizado no bairro do Pau Miúdo, em Salvador. 
Uma pessoa em especial marcou a vida de Priscila antes de chegar ao Balé Folclórico. Por meio da dança, a professora Itamar Arapiraca mobiliza os estudantes e demonstra o poder de transformação da educação. "Lá [na escola], eu tive uma base fantástica e ainda mais com Itamar, pela pessoa que ela é. A dança é uma forma de expressar sentimentos. É falar sem precisar abrir a boca", afirma Priscila. 
Querida na escola, a professora é um exemplo de dedicação em prol de um futuro melhor para os jovens. "Ela usa da arte dela para nos salvar", comenta Alessandro Florêncio, ex-aluno do projeto. Para Itamar, o trabalho na escola é "gratificante demais. Eu adoro trabalhar aqui. É possível e é preciso tirá-los da zona de risco. Minha dança é por amor. A dança é o alimento da minha alma", destaca a professora. 
A experiência do Colégio Professora Candolina com a dança pode ser conferida em vídeo da série ‘Educar para Transformar’, produzida pela Secretaria de Comunicação Social (Secom).