Estudantes do Colégio Estadual Deputado Luís Eduardo Magalhães, localizado em Alagoinhas, estão participando da Feira Nordestina de Ciência e Tecnologia (Fenacit), que acontece em Recife (PE), até este sábado (23). Eles estão apresentando três projetos desenvolvidos no âmbito do programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado.

Os projetos possuem cunho social e envolvem a comunidade do município. Através do Projeto Social-Escolar de Educação Digital (Prosed), alunos do curso de Técnico em Informática ofertam aulas gratuitas para a comunidade, além de serviços de manutenção em informática. “Certa de 80 pessoas da comunidade já estão participando destes cursos”, destaca a professora de intervenção social, iniciação científica e história, Maria de Lourdes Ramos, que acompanha a delegação da Bahia no evento.

Outro projeto que concorre às premiações da Feira é do curso técnico em Segurança do Trabalho, que tem a proposta de apresentar caminhos para combater o descarte indevido do lixo e os problemas ocasionados à comunidade Alagoinhense. “Esta é uma ação educativa para ajudar a comunidade onde a escola está inserida a fazer a coleta seletiva do lixo, explicando a necessidade de não se jogar lixo na margem da linha férrea, além da formação de sujeitos ecológicos, através da educação ambiental. Além disso, busca ampliar as discussões de educação ambiental para fazer adequação do aterro sanitário da cidade”, destaca a professora ao completar que os estudantes vêm mobilizando a Câmara de vereadores e associações de bairro para participar da iniciativa.

A estudante Deise Paula Pereira Reis, 18 anos, 1º ano do curso de Técnico em Administração, fala sobre a experiência de apresentar um trabalho de iniciação científica em outro Estado: “Está sendo uma oportunidade incrível de ter contato com várias culturas e conhecer outros projetos para aprimorar meus conhecimentos”, destaca.

Já Islaine Medeiros, 16 anos, aluna do 3º ano do curso Técnico em Recursos Humanos, está radiante com o fato dos projetos chamarem a atenção do público justamente por ter cunho social: “Está sendo uma experiência inesquecível, porque estamos conhecendo outros projetos e apresentando nossos trabalhos para este público de todo o Brasil. Temos orgulho do projeto que vai trazer melhorias para a comunidade do interior da Bahia”, explica. O projeto apresentado por ela, intitulado “Da Escola Para o Mundo”, conta com o suporte de um psicólogo e assistente social para desenvolver atividades socioeducativas voltadas para jovens em condições de vulnerabilidade social.

Fonte: Ascom/Educação