O grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI), espaço apoiado pelo Programa Ações Continuadas a Instituições Culturais, por meio do Fundo de Cultura da Bahia, apresenta o espetáculo ‘Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito’, neste sábado (23), às 16h30min, no Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães, em Itabuna (sul do estado), com entrada é gratuita. A apresentação busca promover o projeto Escolas Culturais, desenvolvido pelo Governo do Estado, via secretarias da Educação, de Justiça (SJDHDS) e de Cultura (Secult).

Em ‘Teodorico Majestade’, uma sátira política em linguagem de cordel, um prefeito beberrão e corrupto da fictícia cidade de Ilha Bela, está prestes a ser expulso do cargo pela população. Na tentativa de se livrar das acusações, o gestor negocia sua permanência no cargo. O conteúdo inusitado das conversas vem garantindo o riso da platéia desde o lançamento do espetáculo há 10 anos.

TPI
‘Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito’, é uma sátira política em linguagem de cordel.
(Foto: Ascom/Secult)

A montagem já foi encenada em diversas cidades da Bahia, incluindo Salvador, além de outras capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Maceió. Mais que distrair as pessoas com as situações divertidas envolvendo o prefeito, o espetáculo pode estimular o pensamento sobre a necessidade de tornar este tipo de político uma exceção e não a regra no País. As atividades do grupo e do espaço cultural que administra (Tenda) podem ser conferidas no site do TPI.

O projeto do Governo entende a escola como centro de formação social, cultural e profissional e se propõe a fortalecer valores de cidadania a fim de proteger crianças e jovens dos efeitos da violência, da desinformação e, principalmente, da falta de perspectivas de vida. Utiliza-se das mais diversas linguagens artísticas para estabelecer contato com cada um dos estudantes das escolas públicas da rede estadual. Para viabilizar o projeto, está em andamento a elaboração de um aditivo do contrato de gestão entre o IASPM, instituto responsável pela gestão da orquestra infanto-juvenil Neojibá, e a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Socia (SJDHDS).

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artísticas e culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia (FCBA) custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. São financiados, preferencialmente, aqueles que, apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação – Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Mais informações estão disponíveis no site da Secult.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult).