A indústria baiana inicia pesquisas no segmento aeronáutico com a inauguração, nesta terça-feira (29), do Laboratório de Pesquisas Aeronáuticas implantado na sede do Senai Cimatec, em Salvador. Para a realização das pesquisas, Senai Cimatec e Embraer oficializaram uma parceria tecnológica que envolve três projetos a serem desenvolvidos na sede da instituição, somando investimentos de mais de R$ 8,2 milhões. Participaram da solenidade o governador em exercício e secretário do Planejamento do Estado, João Leão, e o secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Vivaldo Mendonça.  
De acordo com Leão, o novo laboratório é apenas um embrião do que pode acontecer na Bahia. “Nós queremos que esse centro de tecnologia atraia empresas como a Embraer. Há poucos dias também trouxemos outra empresa de tecnologia e produção de medicamentos, porque fizemos um convênio com o Ministério da Saúde, para produzirmos os mais avançados remédios do mundo. Tudo isso está sendo criado e produzido no Senai Cimatec”. 
O laboratório está implantado em um espaço onde funciona, por exemplo, o segundo maior supercomputador da América Latina e onde já são realizadas pesquisas no setor automotivo. O secretário da Ciência e Tecnologia ressalta a importância do novo segmento. “Esse acordo de cooperação fortalece o ecossistema de ciência, tecnologia e inovação da Bahia. A Embraer é uma empresa de atuação mundial e traz para a nossa rede a possibilidade de formar profissionais e soluções tecnológicas. O Governo do Estado vai estar atuando na consolidação dessa parceria como estratégia de desenvolvimento para todo o estado”. 
Foto: Paula Fróes/GOVBA
(Foto: Paula Fróes/GOVBA)
Qualificação técnica 
Para o diretor de tecnologia da Embraer, Daniel Moczydlower, no âmbito da indústria aeronáutica, o ponto mais difícil e demorado é exatamente o da qualificação técnica e da competência das pessoas. “E isso a gente tem visto acontecer com muito sucesso aqui na Bahia. Em centros de excelência como o Senai Cimatec de Salvador, desafios tecnológicos que são comuns a várias indústrias são resolvidos em colaboração. Aqui existe um polo que tem a vocação para ser um resolvedor de problemas tecnológicos de interesses a múltiplas indústrias, inclusive a aeronáutica".  
O diretor destaca também que a unidade do Senai Cimatec da Bahia se diferencia pelas áreas em que escolheu aprofundar no conhecimento. “São exemplos a manufatura avançada e eficiente e as tecnologias de sensoriamento. São nichos que o Senai Cimatec se especializou e que tem uma conexão muito importante para o futuro que nós da Embraer enxergamos para a indústria da aeronáutica”. 
Aluno de análise e desenvolvimento de sistemas do Senai Cimatec, Rosalvo Matos Neto faz estágio no Laboratório de Pesquisas Aeronáuticas. “Estou vendo um novo mundo e como este conhecimento se aplica ao que estou estudando. Eu não conhecia nada de aviação, Aprendemos sobre materiais e estamos tendo uma grande experiência no laboratório”, afirma. 
Projetos que serão desenvolvidos no Laboratório de Pesquisas Aeronáuticas:

SHM-RA 
O Projeto SHM-RA é baseado em realidade aumentada e tem como objetivo desenvolver um sistema composto de software versão beta integrado a dispositivo(s) de hardware que possibilite a localização de componentes, durante o processo de manutenção, e de eventos, durante ensaios estruturais Full-Scale Fatigue Test (FSFT), através da sinalização de pontos referenciados em ambiente relevante simulado (CDP). 
Com os resultados do projeto SHM-RA haverá um aumento da agilidade na localização de eventos nas plataformas estruturais que estão sob ensaio de fadiga. Além disso, haverá uma redução significativa do entendimento das ações que já foram feitas e das que necessitarão ser realizadas, devido às informações estarem sendo apresentadas conjuntamente através de realidade aumentada. 
Projeto eSRM
O Projeto eSRM visa desenvolver uma solução de software versão beta, testado em ambiente relevante, capaz de realizar análise de reparos em estruturas de compósitos, integrado à ferramenta de software de análise estrutural de danos e reparos (e-SRM Composites). Possui características inovadoras, pois a análise estrutural dos reparos colados para material composto através da combinação de métodos analíticos e modelo de elementos finitos são técnicas não aplicadas pelos softwares comerciais. 
Outro aspecto importante é a geração de ferramentas de engenharia leves com resultados objetivos capazes de serem utilizadas por engenheiros em suas estações de trabalho, possibilitando a realização de análises rápidas e especificas para danos ou reparos.  

Smartfasteners
A indústria aeronáutica demanda cada vez mais técnicas de inspeção e monitoramento mais eficientes e acuradas, proporcionando planos de manutenção mais mais seguros e menos custosos. Entre as abordagens em destaque atualmente está o Monitoramento da Saúde Estrutural (SHM – Structural Health Monitoring). Este projeto consiste na aplicação de uma técnica de SHM associada a juntas estruturais – tecnologia inexistente no país – que são embarcados em juntas estruturais, mais especificamente ao redor de prendedores, para monitorar o surgimento e propagação de danos nesta região. O objetivo é propor a redução de custos com manutenção, porém, mantendo os altos níveis de segurança exigidos no setor aeronáutico.
Repórter: Raul Rodrigues