Técnicos e pesquisadores da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan), apresentaram ao secretário estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins, nesta terça-feira (15), o resultado da pesquisa que aponta o grau de satisfação dos usuários dos dois Restaurante Populares em 95% administrados pelo órgão. “Agora temos um instrumento importante para nos basearmos e melhorarmos os serviços prestados à população”, enfatizou o gestor.

A pesquisa, realizada em junho deste ano, entrevistou 1.488 beneficiários dos dois restaurantes, localizados nos bairros do Comércio e da Liberdade, a partir de um questionário com 31 perguntas a respeito de dados pessoais, sociais e econômicos dos consumidores, como sexo, raça, escolaridade, situação de moradia, meio de sobrevivência, ocupação profissional e aspectos positivos e negativos quanto à infraestrutura do espaço, alimentação e funcionários.

Na Liberdade, o questionário foi respondido por 729 frequentadores, e no Comércio, 759. A pesquisa também traçou o público-alvo dos restaurantes, composto por homens acima de 45 anos, negros, solteiros, de baixa escolaridade e com endereço fixo. O estudo também abordou outras questões, como vínculo empregatício, cidade de origem e participação em programas sociais.

Segundo o diretor de pesquisas da Sei, Armando Castro, o estudo apresentou 95% de grau de confiança e o custo foi próximo de zero. “Foi algo inicial, mas bastante relevador. Agora podemos apurar e verificar os erros para um segundo momento, além de manter o trabalho a cada seis meses ou uma vez por ano”.

Para a superintendente de Inclusão e Segurança Alimentar da SJDHDS, Rose Pondé, que participou da reunião de apresentação, “foi interessante conhecer sobre o trabalho que é feito nos Restaurantes Populares e a efetividades das políticas públicas, principalmente quando se trata de um direito básico da pessoa como é a alimentação”. Já o secretário ressaltou ainda qualidade dos dados apresentados, parabenizando “a todos que participaram de uma pesquisa tão necessária".

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS),