As inscrições para o Prêmio de Boas Práticas se encerraram, mas o saldo foi positivo. Com 167 projetos inscritos, sendo 96 na capital e 71 no interior, a edição de 2017 conseguiu superar o dobro do número registrado em 2016, que teve 75 inscrições. Com projetos enviados de 38 cidades, incluindo Salvador, a edição de 2017 passa a ser a segunda maior em quantidade de participantes desde que surgiu, em 2009. A primeira é a de 2012, que chegou a 169. O número de 2017 também segue a tendência de crescimento em inscrições, registrando 41 em 2015, e 75, em 2016.

Para o secretário da Administração, Edelvino Góes, a premiação revela a importância da inovação na gestão pública e o reconhecimento dos servidores como peças-chave para o desenvolvimento de ações de melhoria do ambiente de trabalho. "É fundamental que os servidores compreendam o foco na gestão, buscando soluções para melhorar a prestação do serviço público, seguindo sempre o discurso da modernização e qualidade do gasto", disse.

Ainda de acordo com Góes, a questão da inovação no serviço público é essencial para que o governo enfrente os desafios da sociedade atual. "Esse volume de projetos mostra o esforço inovativo do Estado, já que estamos falando de entregas que não são frutos de uma consultoria ou fornecedor, mas de servidores públicos motivados e comprometidos", ressaltou o secretário.

As ações pré-selecionadas são definidas pela Comissão de Seleção do Prêmio de Boas Práticas. A quantidade é definida após avaliação de todos os projetos inscritos, através de uma nota média. Depois disso, todos os projetos pré-selecionados recebem a visita in loco de membros da comissão com o intuito de atestar se a ação atende aos critérios pré-estabelecidos. Serão consideradas a abrangência e sustentabilidade, avaliando o número de beneficiados e a força de disseminação do projeto. Além dos resultados, benefícios e capacidade de gerar economia e redução de custos. Do saldo da operação prática surgem os 10 projetos premiados.

O Prêmio de Boas Práticas registrou ações e projetos, inéditos ou não, cujo objetivo principal é gerar economia, agilidade e melhoria nos serviços públicos prestados pelo Estado. Vale ressaltar a participação efetiva dos servidores ativos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministério Público da Bahia (MP/BA) e Defensoria Pública da Bahia (DPE/BA).

Como forma de dar visibilidade às boas práticas, a Secretaria da Administração (Saeb) realizou, no início do mês de julho, o primeiro Encontro de Boas Práticas, reunindo todos os premiados desde sua primeira edição, em 2009, vindos tanto da capital quanto do interior.

Os vencedores de 2017 serão conhecidos durante o Dia Você Servidor, como parte das homenagens do Dia do Servidor Público, em 28 de outubro. Os participantes vão conhecer o Banco de Boas de Práticas, onde será possível realizar a consulta de práticas de gestão e efetuar a todo instante o cadastro de novas práticas.

Instituído pela Lei Estadual nº 10.848, de 3 de dezembro de 2007, o Prêmio de Boas Práticas tem como principal objetivo incentivar e valorizar projetos que contribuam para uma organização motivada, além de desenvolver um banco de talentos, que serão referências para o serviço público. São premiadas ações inovadoras, com resultados reconhecidos e comprovados, visando a redução de custos e melhoria na qualidade dos serviços prestados à sociedade.

Desde sua primeira edição, o Prêmio de Boas Práticas já registrou 801 inscrições, sem contabilizar 2017. Dos 80 premiados, 46 foram da capital e 34 do interior, alcançado um índice de 81% de continuidade – ou seja, 65 continuam ativos. Os vencedores recebem um total de R$ 32 mil, distribuídos entre os 10 primeiros colocados. A ação é promovida pela Saeb, por meio da Diretoria de Valorização e Desenvolvimento de Pessoas (DDE/SRH).


Fonte: Ascom/ Secretaria da Administração (Saeb)