A Xilolite – mineradora localizada em Brumado, no centro sul baiano – inaugurou um forno de calcinação de minério de magnésio, projeto que conta com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) de cerca de R$ 6,5 milhões, captado por meio do agente credenciado no Programa Inovacred, da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia). Com o equipamento em operação, a empresa levará ao mercado uma produção de óxido de magnésio com altos teores de pureza.

A operação de financiamento foi confirmada pelo presidente da Desenbahia, Otto Alencar Filho, e tem forte impacto em Brumado e também no estado. Segundo ele, o “Programa Inovacred-Desenbahia tem por objetivo financiar investimentos em inovação, para introdução de novos produtos, processos, serviços, bem como o aperfeiçoamento dos já existentes, visando ampliar a competividade das empresas baianas”.

Os minérios da produção da Xilolite – talco, óxido de magnésio e magnesita crua – têm aplicações intensas e diversas na indústria. O talco é usado na produção de celulose, cosméticos, plásticos, alimentos, tintas, entre outros. O óxido de magnésio é matéria-prima de fertilizantes, nutrição animal, abrasivos e é essencial no tratamento de água. Já a magnesita crua está presente na indústria química em geral, especialmente na siderurgia e cerâmica.

Com o objetivo de oferecer uma nova opção de compra de óxido de magnésio para as empresas de segmentos diversos, como siderurgia, fertilizantes, ração animale indústria química, a empresa investiu no modelo de forno MultipleHearthFurnace (MHF), que consome menos combustível, permitindo a comercialização de um produto com preço altamente competitivo no mercado. A Xilolite é uma empresa brasileira, com 47 anos de existência. Atualmente, detém 95% do mercado brasileiro de matéria-prima para celulose e foi pioneira no Brasil na utilização da flotação para purificação do talco, com capacidade de micronização e compactação.

Fonte: Ascom/Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia)