O município de Capim Grosso recebe nos dias 7 e 8 de agosto o projeto Caravanas Pedagógicas do Neojiba. No encontro, alunos e jovens músicos da Filarmônica 09 de Maio e de fanfarras do município e de Caldeirão Grande participam de oficinas de técnica instrumental de metais e percussão. As atividades acontecem na segunda-feira (7), das 17h às 20h, e na terça (8), das 14h às 20h, no Conservatório Municipal de Capim Grosso.

As oficinas serão ministradas por jovens multiplicadores do Neojiba e integram as comemorações dos 10 anos do programa. Esta é a segunda caravana pedagógica realizada neste ano para Capim Grosso. A primeira aconteceu no mês de maio e reuniu cerca de 50 alunos e jovens músicos.

Um dos participantes foi Janderson Sousa, de 18 anos, percussionista da Filarmônica 09 de Maio e da Fanfarra FAMUCG, de Capim Grosso.“É importante participar e bus-car mais aprendizado e informações.Na oficina passada, eu aprendi técnicas que me ajudaram muito a aperfeiçoar o meu trabalho na percussão, como práticas de movi-mento, de tocar, agilidade com as mãos, entre outras”, conta.

Realizado por meio da Rede de Projetos Orquestrais da Bahia, o projeto conta com o patrocínio da Cielo e Cateno, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministé-rio da Cultura e Governo Federal, Ordem e Progresso. Em Capim Grosso, tem a par-ceria da Filarmônica 09 de Maio e Prefeitura Municipal.

Iniciado em outubro de 2016, o projeto Caravanas Pedagógicas realiza até outubro 2017 um total de 42 visitas técnicas e oficinas pedagógicas com grupos musicais e orquestrais da Bahia, além de 12 apresentações públicas. Todas as atividades con-templam diretamente mais de 1,3 mil crianças, adolescentes e jovens de projetos or-questrais, sediados em 30 municípios do Estado.

O projeto prevê a formação e concertos de cinco Orquestras Regionais de diferentes Territórios de Identidade da Bahia: Costa do Descobrimento, Extremo Sul, Irecê, Pie-monte da Diamantina e Sisal. Cerca de 500 jovens músicos no interior da Bahia inte-gram as cinco Orquestras Regionais, numa média de 100 por grupo, todos pertencen-tes a projetos sociais e musicais baianos.


Fonte: Ascom/Neojiba