Fomentar iniciativas empreendedoras e inovadoras que atuem em segmentos criativos. Com esse objetivo, o Governo do Estado tem investido na realização de oficinais e editais que contribuem para o desenvolvimento da economia criativa nos ciclos de criação, produção, circulação, consumo e distribuição de serviços culturais. 
Uma das iniciativas é o Bahia Criativa, escritório público de atendimento e suporte a profissionais e empreendedores. Administrado pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), o local oferece consultorias, assessoria técnica e capacitação profissional com foco na qualificação da gestão de projetos e negócios criativos. 
"A gente tem desenvolvido uma série de estratégias voltadas ao desenvolvimento da economia da cultura do estado. A gente tem trabalhado com editais. A gente tem o Bahia Criativa, que dá apoio e consultoria para as pessoas formalizarem os seus negócios. Temos feito estudos e pesquisas", explica Daniel Carneiro, integrante do diretório de economia da Secult. 
Em 2016, a secretaria lançou o edital de Economia Criativa, que recebeu R$ 1 milhão em investimento e contemplou 11 projetos. Uma das iniciativas beneficiadas foi o Afrotonizar, que busca promover o empreendedorismo entre jovens negros de Salvador com idade entre 14 e 30 anos. O assunto pode ser conferido em vídeo da série ‘Nossa Cultura’, produzido pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), em parceria com a Secult.