Aproximar polícia e comunidade é o objetivo central da Primeira Ação Cívica Social de Valéria, projeto apresentado pela Polícia Militar da Bahia, na manhã desta segunda-feira (7), ao secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins. “Isso está perfeitamente alinhado com tudo o que penso e fazemos aqui na Secretaria. Temos que estar, cada dia mais, alinhados com a comunidade”, afirmou Martins.

A PM já promove palestras de ação preventiva no ambiente escolar desde o ano passado, com atividades lúdicas e técnicas e métodos de ensino infanto-juvenil, visando a promoção da auto-estima, da responsabilidade, do bem-estar social e da cidadania. No total, 13 escolas municipais e estaduais já participaram. A proposta é, justamente, ampliar o projeto dentro do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), vinculado ao Pacto Pela Vida. “Para nós, é muito importante, porque desconstrói essa imagem de polícia punitiva. Nós queremos levar mais benefícios para a comunidade, com uma polícia mais participativa e que fomenta a cidadania”, afirmou o major Elson.

O Centro Social Urbano (CSU) de Valéria foi escolhido pela corporação para receber a primeira edição do evento, prevista para novembro. “O Governo precisa fortalecer o Proerd e a Secretaria de Justiça está à disposição. Nossa ideia, inclusive, é fazer esta Ação Cívica Social também nos outros CSUs”, destacou Carlos Martins, ressaltando que a SJDHDS pode participar, ativamente, com a emissão do Passe Livre Intermunicipal para pessoas com deficiência, capacitações da Superintendência de Assistência Social e cadastramento no Bolsa Família, atendimento ao consumidor com o Procon, palestras sobre empoderamento e protagonismo juvenil, orientações para emissão da Identidade Jovem (ID Jovem) com a Coordenação de Juventude, e ainda elucidações sobre redução de danos para usuários de drogas com o Programa Corra Pro Abraço.

Novas reuniões serão agendadas, incluindo as demais secretarias e órgãos da administração pública que devem se juntar ao projeto, a exemplo da Secretaria do Trabalho, Emprego e Renda (Setre) e da Saúde (Sesab), Defensoria Pública, Embasa, Coelba, Detran, Creas, Cras, entre outros. A Ação Cívica Social também deve contar com o carro da Biblioteca Móvel, atendimento médico e odontológico, fisioterapia e massoterapia, palestras sobre Primeiros Socorros, atividades culturais e esportivas.

A reunião ainda contou com a participação do coordenador estadual dos CSUs, Osmário Silva, do coordenador do CSU de Valéria, Gabriel Ribeiro, da coordenadora do CSU do Nordeste de Amaralina, Andreia Macedo, e de representantes da Assembleia Legislativa (Alba).


Fonte: Ascom/SJDHDS