Cento e dezoito jovens com idade entre 18 e 21 anos receberam, na manhã desta quarta-feira (5), o certificado do Programa Mais Futuro, das Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA). Eles tiveram a oportunidade de, durante os últimos dois anos, realizar cursos e ter experiência profissional, como jovens aprendizes, nos postos da Rede SAC, desempenhando a função de auxiliar administrativo.

“Esse é um programa que tem o objetivo de garantir o acesso ao jovem de baixa renda, que terminou o ensino médio em escola pública à primeira oportunidade no mercado de trabalho. O Mais Futuro das Voluntárias Sociais da Bahia oferta tanto a capacitação teórica quando a atividade prática no campo de trabalho”, explica o diretor de Formação para o Trabalho das VSBA, Manoel Calazans.

Criado em 2008, o programa de aprendizagem já certificou mais de quatro mil jovens de baixa renda. Todos os integrantes das turmas tiveram, além da oportunidade de trabalhar, aulas de disciplinas como língua portuguesa, matemática financeira, macroambiente de trabalho, informática básica e avançada, direito do trabalho e ética e cidadania.

A oportunidade provocou nova concepção de vida aos jovens. Para Yan Batista, estimulou a vontade de mudar de contexto. “Sou de origem humilde e moro em bairro da periferia. Nasci em um contexto e estava meio que acostumado com ele, mas com a chance de trabalhar me despertei para o mundo. Hoje faço ciência e tecnologia na faculdade e tenho vontade de crescer pelo meu trabalho”, conta o universitário.

Durante dois anos, receberam salário mínimo, vale transporte e alimentação, e cobertura de plano de saúde. Hoje deixaram o auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), no CAB, com certificado, carta de recomendação, registro na Carteira de Trabalho e muita experiência.

Muitos já estão na universidade e já sabem onde desejam chegar. “Faço psicologia, e esses dois anos trabalhando no SAC pude observar e conhecer a necessidade de muitas pessoas. Isso, sem dúvida vai me ajudar a trabalhar na área que escolhi. O Mais Futuro me ajudou, sobretudo, a lidar com as pessoas”, destacou Natália Lima.


Repórter: Leonardo Martins