Inaugurações, reformas, abertura de serviços, desbloqueio de leitos e novas contratações fazem parte do balanço do primeiro semestre de 2017 do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador. Os avanços aconteceram sem impactar no orçamento, por meio de um trabalho de qualificação do gasto realizado em conjunto com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).
 
As obras entregues neste ano tiveram início em 2016. Quando a atual diretoria do HGRS tomou posse, no último mês de dezembro, se encarregou de dar continuidade ao trabalho da administração anterior e cuidou de pensar em outras reformas importantes.
 
De lá para cá, o maior hospital do Norte e Nordeste ganhou uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neurológica, que é a primeira especializada deste tipo na rede pública da Bahia. São dez leitos, com atenção exclusiva para o pré e pós-cirúrgico, bem como para casos de hemorragia cerebral, por hipertensão ou por aneurisma, e de pacientes em coma.
 
Já o Centro de Diagnóstico por Imagem, que passou por total readequação, inclui hoje primeiro tomógrafo do Nordeste com 256 canais e uma nova ressonância de alta tecnologia. A partir de agora, também é possível realizar o exame de ressonância com sedação, o que permite o atendimento de bebês, por exemplo. O nível de detalhamento dos procedimentos é maior e o tempo para retirada do laudo é menor.
Foto: Camila Souza/GOVBA
A nova unidade de bioimagem recebeu R$ 13 milhões em investimentos
(Foto: Camila Souza/GOVBA)
 
Também passaram por reforma a UTI Geral e a Hemodinâmica. De acordo com o diretor-geral do HGRS, José Admirço Lima Filho, graças às readequações e à política preventiva de redução de infecção hospitalar, a instituição funciona, atualmente, com todos os leitos disponíveis. “Aproveitamos o período natalino, quando temos baixo volume de procedimentos e internações, para trocar todos os colchões das enfermarias. Isso, aliado às reformas iniciadas na mesma época, permitiu que ganhássemos muitos leitos. Conseguimos abrir mais cinco de UTI Cirúrgica, por exemplo”, lembra. 
 
Para realizar tantas obras ao mesmo tempo, explica o gestor, foi preciso coragem. “Já assumi a direção pensando nas possíveis reformas. Como fazia parte do quadro de médicos do hospital há dez anos, eu tinha noção das maiores necessidades da instituição. Então, chegamos mexendo logo na UTI Geral, que teve sua iluminação e pintura melhoradas. A Hemodinâmica foi otimizada e ganhou nova sala para procedimentos e oito novos leitos de retaguarda. Recebemos, ainda, aparelho de raio-x com mesa telecomandada”.
 
Novos serviços
 
O Hospital Geral Roberto Santos acolheu, também neste semestre, a Central Estadual de Transplante de Órgãos da Bahia. No Ambulatório, quatro novas especialidades somaram-se às mais de cem que existiam. “Conseguimos contratar 120 profissionais, entre médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos e fisioterapeutas. O serviço de fisioterapia, por sinal, ganhou uma sala de atendimento intra-hospitalar e passou a contar com equipe específica para atuar na Emergência Pediátrica”, enumera José Admirço, acrescentando que “tudo isso foi feito sem onerar o orçamento. Ao contrário, registramos uma economia de R$ 350 mil com uso consciente de antibióticos”.
 
Outra ação importante, na avaliação do diretor-geral, foi a implantação do culto ecumênico no HGRS. “Já existia a procura por parte de diversos agentes religiosos da nossa comunidade, o que fizemos foi organizar. Em cumprimento à Portaria nº 880/2014, que assegura a assistência religiosa em hospitais, iniciaremos em agosto o curso de visitação hospitalar. Acredito na combinação entre ciência e espiritualidade para a recuperação do paciente internado”, pontua.
 
Meta da gestão
 
Ao tomar posse como diretor-geral do HGRS, José Admirço Lima Filho anunciou como uma de suas metas a informatização do hospital. No foco principal do planejamento, estava o prontuário eletrônico, que ele calculou estar totalmente instalado em cerca de dois anos. Sobre isso, o diretor-geral também tem novidades: “a parceria com o Incor [Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo] foi assinada nesta semana. Até o fim do mês de julho, o GT [Grupo de Trabalho], com o apoio da Prodeb [Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia], dará início ao processo no Roberto Santos”.
 
Fonte: Ascom/HGRS