Nas sacolas, casacos, calças, blusas, sapatos, lençóis, cobertores e até brinquedos. No coração, a solidariedade. A Igreja da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, em Salvador, como ponto de partida. De lá, policiais militares seguiram, na noite da terça-feira (18), ao encontro de pessoas carentes e em situação de rua para entregar a terceira etapa das doações recolhidas durante a Campanha do Agasalho 2017, ação da Polícia Militar da Bahia (PMBA) colocada em prática pelas Bases Comunitárias de Segurança (BCS) de Fazenda Coutos, Chapada do Rio Vermelho, Rio Sena e Bairro da Paz.
A Academia de Polícia Militar (APM) também participou da ação com a doação de alimentos. Para a comandante da BCS Fazenda Coutos, capitã Lílian Carvalho, o objetivo da ação vem sendo alcançado a cada entrega. "A maior proposta da campanha é mobilizar, sensibilizar todas as esferas da sociedade, todos os segmentos, todas as pessoas que estão sendo alcançadas por esta divulgação", explica a militar. 
O local escolhido para realizar a entrega foi o Largo de Roma, onde algumas pessoas já estavam recolhidas para passar a noite e outras aguardavam a passagem de algum grupo com ajuda. Desempregada, Rosângela Roseno aproveitou a ação para recolher cobertores e roupas para a família. Ela mora com o marido e nove filhos e depende deste tipo de ajuda para sobreviver. "Eu não moro na rua. Mas a gente vem aqui, pega o alimento e volta pra casa porque não tem condições", conta Rosângela sobre a situação da família.
Do Largo de Roma, os policiais militares seguiram para o centro da cidade em busca de um novo grupo de pessoas para ajudar. A campanha segue recolhendo doações até o mês de agosto. Para colaborar, basta entregar os agasalhos em qualquer BCS da capital ou do interior. 
"Se não tiver condições de entregar na própria base, nós vamos até a pessoa para fazer a coleta do material", afirma a capitã Eva Cachoeira, comandante da BCS Chapada do Rio Vermelho. Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas com o Departamento de Comunicação Social da PM, por meio do telefone (71) 3116 8958.

Repórter: Lina Magalí