No segundo dia de audiências públicas na região do Médio Sudoeste e Litoral Sul, a população de Ibicaraí e de regiões vizinhas, na quarta-feira (26), conheceu a minuta do Plano Estratégico da Revitalização do Rio Cachoeira, contribuindo para a elaboração final do documento que irá guiar o plano de desenvolvimento ambiental em torno da bacia hidrográfica. A primeira audiência de apresentação do plano aconteceu na terça-feira, no município de Itororó, e está sendo finalizada nesta quinta-feira (27), na cidade de Itabuna, com a participação social de agricultores, assentados rurais, representantes da sociedade civil e dos poderes públicos.

Inserido no Programa de Desenvolvimento Ambiental (PDA-Bahia) da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), o Plano de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio Cachoeira está sendo realizado em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com investimento de R$ 3,4 milhões, incluindo a regularização ambiental de 14 mil propriedades rurais até 4 módulos fiscais e a restauração produtiva de 150 hectares em áreas prioritárias para conservação em torno da Bacia do Rio Cachoeira.

De acordo com a coordenadora de Projetos da Sema, Luciana Santa, após o processo de audiência públicas, o documento final contará com um Plano de Governança e um banco de projetos estruturantes, e deve trazer a caracterização da degradação e da problemática socioambiental da Bacia. Estabelecendo áreas prioritárias, mecanismos e estratégias de ações, bem como apresentando um portfólio de projetos executivos para implementação das ações, com foco na melhoria dos recursos hídricos por meio de mudanças do uso do solo e água, aprimorando a governança ambiental”, explicou.

“Fica nítido que a região de Ibicaraí é bastante preocupada em relação a questão ambiental. Através de diálogos com os atores sociais da região, observamos o interesse deles em relação a estratégia piloto de revitalização por meio de pagamentos por serviços ambientais. Para o consultor da Sema, Francisco Pimentel, a gestão da revitalização compartilhada e supra municipal é outro aspecto relevante para a concretude do plano. "Existem projetos que são específicos de cada municípios, mas em caso de ações supramunicipais, como o plano de saneamento ambiental, a permuta de experiências entre as prefeira só vem a avançar nas estratégias ambientais na região", pontuou.

O produtor agrícola familiar de Ibicaraí, Robson Santos, de 73 anos, é um exemplo do empoderamento popular na preocupação em relação a revitalização do Rio Cachoeira. "Em minha propriedade rural existem quatro ribeirões e passam duas nascentes. Há 18 anos, desde que comprei minha Fazenda, nunca desmatei, aliás, arborizei ainda mais, juntos com outros amigos". No entanto, o senhor Robson destacou que sem apoio público fica difícil lutar a favor do meio ambiente. "Espero que com a nossa contribuição para a elaboração do Plano de Revitalização a situação do nosso rio possa se reverter", finalizou.

Fonte: Ascom/Sema