O programa de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec), desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado, foi selecionado para a terceira fase do 14º Prêmio Innovare, na categoria Justiça e Cidadania. A iniciativa “Educação com Intermediação Tecnológica em Unidade Prisional: um direito garantido no Conjunto Penal do município de Serrinha, Bahia, Brasil” apresenta o trabalho de ressocialização promovido com a formação de 130 apenados com o Ensino Médio.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, fala sobre o papel que o EMITec desenvolve para a inclusão dos estudantes no estado, beneficiando aqueles que, historicamente, não tiveram acesso à Educação. "O EMITec é uma modalidade que chega aos lugares mais longínquos da Bahia, permitindo que os estudantes que moram na zona rural e em distritos concluam o Ensino Médio e teve esta experiência exitosa na unidade prisional de Serrinha", afirma, ao destacar "que a Secretaria está buscando aprimorar, ainda mais, este projeto que já beneficia mais de 21 mil estudantes, em 150 municípios baianos".

A ação no Conjunto Penal de Serrinha foi iniciada em 2011. A metodologia aplicada junto aos apenados é a mesma utilizada para todos os estudantes beneficiados pelo programa. “Os apenados passaram por uma formação feita pelos professores da rede estadual de ensino, com transmissão ao vivo, direto dos estúdios de televisão no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, com o suporte de um monitor nas aulas, onde estão os alunos para que eles possam questionar e tirar dúvidas”, destacou a coordenadora do EMITec, Letícia Machado, ao ressaltar que o programa “representa uma grande oportunidade aos apenados em melhorar a educação como forma de ressocialização. Estamos bastante satisfeitos com os resultados”, comemora.

Como funciona

A dinâmica do EMITec é estruturada de forma que o estudante da rede estadual, que cursa o Ensino Médio nestas localidades, esteja, de fato, dentro de uma sala de aula, com todos os recursos que o espaço pode oferecer. Desta forma, as aulas são transmitidas via satélite, em tempo real, diretamente do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, e ministradas por professores da rede estadual, que contam, no estúdio, com a presença de outro docente da rede para apoio e subsídios, já que as aulas são ao vivo. Nas telessalas, os alunos contam com a presença de professores mediadores, que fazem a interlocução de dúvidas para os professores em estúdio e aplicam as avaliações, que são por área e interdisciplinares. A comunicação também é realizada via chat.

Os conteúdos são veiculados por meio de uma moderna plataforma de telecomunicações, por meio de solução tecnológica desenvolvida especialmente para o programa, que inclui possibilidades de videoconferência e acesso simultâneo à comunicação interativa entre usuários, empregando IP (Internet Protocol), por satélite VSAT (Very Small Aperture Terminal). Após as aulas, os vídeos são editados e disponibilizados na internet, que também oferece material didático de apoio.

Premiações

O resultado positivo do EMITec tornou a iniciativa um exemplo para diversos Estados do país, como o Piauí e Sergipe. Em 2013, o projeto foi certificado como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil, e, em 2012, recebeu o prêmio de Excelência Abed Pearson em EaD, na categoria inovação. Em 2014, o projeto foi selecionado como um dos semifinalistas do desafio Tecnologia é Ponte: diminuindo distâncias na educação, entre 101 projetos inscritos.

Prêmio Innovare

O prêmio é promovido pelo Instituto Innovare, uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivos principais e permanentes a identificação, premiação e divulgação de práticas do Poder Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública e de advogados que estejam contribuindo para a modernização, a democratização do acesso, a efetividade e a racionalização do Sistema Judicial Brasileiro.

O objetivo é o reconhecimento e a disseminação de práticas transformadoras que se desenvolvem no interior do sistema de justiça do Brasil, independentemente de alterações legislativas. Mais do que reconhecer, o Innovare busca identificar ações concretas que signifiquem transformações relevantes em antigas e consolidadas rotinas e que possam servir de exemplos a serem implantados em outros locais. Os premiados da 14º Prêmio Innovare serão conhecidos em dezembro, durante cerimônia no Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

Fonte: Ascom/Educação