Para fortalecer a Educação Científica na sala de aula, a Secretaria da Educação do Estado está realizando a formação de 795 professores da rede estadual. No curso ‘Ciência na Escola: repensando a prática de Ciência no Ensino Médio’, os educadores, de escolas da capital e do interior, participam de aulas online, por meio do ambiente virtual do Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Avenida Paralela, em Salvador, e participam também de encontros presenciais nas sedes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE).

A perspectiva do curso é proporcionar aos professores uma rede de formação colaborativa de Educação Científica e empreendedora para fomentar ainda mais a pesquisa e a investigação nas escolas, promovendo o protagonismo dos estudantes. Um dos principais desdobramentos que se espera da formação é a apresentação pelos estudantes de projetos de iniciação científica com grande alcance e relevância social, como destaca a coordenadora do Projeto Ciência na Escola, Shirley Costa. "Com esta formação, os professores estão obtendo os meios necessários para motivar e despertar nos estudantes a curiosidade em identificar e buscar soluções para os problemas de suas comunidades locais”.

Formação Científica
Secretaria promoveu videoconferência no IAT, nesta terça-feira(4),com transmissão para os NTEs.
(Foto: Claudionor Junior)

Nesta terça-feira (4), a secretaria promoveu uma videoconferência no IAT, com transmissão para os Núcleos Territoriais e Educação (NTEs), socializando o andamento do curso de Educação Científica. O professor Jucimar Pereira dos Santos, do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) do Semiárido Nordeste II, no município de Ribeira de Pombal, a 285 quilômetros de Salvador, participou do evento e, segundo ele, o curso já está resultando em mudanças qualitativas na Educação da unidade escolar onde atua.

“Tenho 18 anos trabalhando com Educação Profissional e sou professor efetivo da rede há 24 anos. Este curso já está me dando uma dimensão extraordinária em relação ao nosso projeto ‘Cetep em ação’, iniciado este ano, com o objetivo de potencializar as atividades na área de Educação Científica do curso técnico de Agropecuária”, enfatiza o educador.

Abrangência

Um dos diferenciais do curso, é que a formação de Educação Científica envolve professores da área das Ciências da Natureza (Física, Química, Biologia e Ciências) e também os que atuam em Ciências Humanas (Geografia, História, Sociologia e Filosofia). Também estão sendo beneficiados professores que atuam em diferentes modalidades como os Centros Juvenis de Ciências e Cultura (CJCC) e os da Educação Profissional.

“A partir da formação, o professor poderá tanto desenvolver projetos com temas de interesse dos estudantes, como pode também ser autor do livro (“Práticas para compartilhar”) que a Secretaria da Educação vem publicando, que traz como conteúdo uma sequência didática que pode ser aplicada em sala de aula”, diz Shirley Costa.

O curso está sendo ministrado por educadores ligados ao Ciência na Escola, que conta com uma rede colaborativa de parceiros e, dentro do ambiente virtual do programa, são oferecidos cursos promovidos por instituições como Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Instituto Alane, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coelba

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado