Um dos mais importantes artistas visuais contemporâneos do Brasil, o carioca Daniel Senise, quer fazer parceria com museus e imóveis do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), na Região Metropolitana de Salvador (RMS) para a realização dos seus projetos. Os recursos serão levantados por ele junto a patrocinadores locais e nacionais, e, a partir de setembro próximo, deve começar a captação de imagens no Museu do Recôncavo (Candeias), Palácio da Aclamação e outros casarões do órgão na capital.

Em 2018, o artista utilizará o Palacete das Artes ou o Museu de Arte da Bahia (MAB) para expor os resultados do seu projeto, que integrará o Programa de Dinamização de Espaços e Museus do Ipac. “Através de tecidos com água e cola e também fotografias, conseguimos captar as texturas de pisos de casarões antigos trazendo a memória e a história desses lugares, transformando depois esse material em telas que, serão expostas ao público”, explica Senise. Segundo ele, a impressão nos tecidos expõem o desenho e a memória dos espaços.

Ipac Daniel Senise
Senise pretende para participar do projeto alunos dos cursos de Belas Artes e Museologia da Ufba
(Foto: Jefferson Vieira/Ipac)

O artista se reuniu, na semana passada, com o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, em Salvador, acompanhado do curador Alberto Saraiva, para detalhar o seu projeto para o qual pretende convidar 20 alunos dos cursos de Belas Artes e Museologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Daniel Senise já participou das bienais de La Habana (Cuba), Veneza (Itália), Liverpool (Reino Unido), Nova Delhi (Índia), Cuenca (Equador), além de coletivas do Moma de Nova York (EUA), Museu Ludwig de Colônia (Alemanha), Musee d’Art Moderne de la Ville e Centre Georges Pompidou, ambos em Paris (França).

O diretor do Ipac afirma que a parceria propõe amplo diálogo e ações multidisciplinares experimentais entre cidade, arquitetura, artes plásticas e museus, promovendo as artes, estimulando o aprendizado acadêmico com alunos da Ufba e trazendo um expoente da arte brasileira para Salvador.  Saiba mais no site do instituto.

Fonte: Ascom/Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)