"O legado cultural dos vaqueiros no Sertão da Bahia em quase cinco séculos" é o tema da palestra e exibição de um "curta" do poeta, biólogo e antropólogo Washington Queiróz, convidado do Museu de Arte da Bahia (MAB) para discorrer sobre a história e a saga dos Vaqueiros, nesta quinta-feira (13), às 17h, no auditório do Museu, dentro do "Projeto Leituras do Mundo do MAB". Participarão do evento historiadores, alunos e professores, vaqueiros e poetas do sertão. A entrega é gratuita.

O professor Washington Queiróz vai apresentar o universo simbólico dos vaqueiros que aparecem na "Província da Bahia", a partir da metade dos anos 1500, quando o então "governador" Tomé de Souza traz as primeiras cabeças de gado para o Brasil e, com elas, o surgimento da "civilização dos currais", que começa na capital e logo se expande para o Recôncavo, Feira de Santana e sertão baiano.

Com a criação dos "currais", surge a figura do Vaqueiro, o condutor da boiada, a quem o professor Queiróz se refere como "escultura humana", que ampliou a geografia da Colônia que plantava naquelas áreas, a cana-de-açúcar, para abrigar o gado e seus múltiplos produtos.

Fonte: Ascom/MAB