Como forma de por fim à crise hídrica instalada no município de Vitória da Conquista e região do sudoeste baiano, motivada pela pior seca dos últimos 100 anos, o Governo do Estado, via a Secretaria de Infraestrutura Hídrica (Sihs), montou uma força tarefa e os resultados já são colhidos. A barragem de Água Fria 2 atingiu a marca de 94% da sua capacidade de armazenamento, que corresponde a 6,46 bilhões de litros de água, após a ampliação no sistema de captação do rio Catolé, fato que não ocorre há 5,5 anos. Além disso, as obras da adutora de água bruta do Rio Gaviãozinho, dimensionada para aduzir uma vazão de 200 litros por segundo, já atingem mais de 90% de realização, o que dará reforço ao abastecimento de 310 mil habitantes. O valor do investimento é da ordem de R$ 4,4 milhões.

“Com isso, aliado às chuvas que caíram nos últimos dias, sem dúvida, vamos dar um alívio a milhares de famílias, envolvendo a sede de Vitória da Conquista e outras 24 localidades que estão sendo obrigadas a conviver com o racionamento de água”, afirma o secretário Cássio Peixoto. Para atingir esse índice de armazenamento na barragem de Água Fria 2, diz ele, foi necessário a realização de um conjunto de ações coordenadas pela Superintendência de Infraestrutura Hídrica da Sihs, por meio da sua Diretoria de Segurança Hídrica, e executadas pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).

Abastecimento Conquista
As obras da adutora de água bruta do Rio Gaviãozinho já atingem mais de 90% de realização
Foto: Ascom/Sihs

Segundo ainda Peixoto, “a estratégia, montada desde o ano passado para que a Barragem de Água Fria 2 atingisse seu nível máximo de capacidade, consistiu em se realizar melhorias e ampliação no sistema de captação do rio Catolé, aumentando a capacidade de armazenamento da barragem de nível e instalando-se mais uma motobomba, o que ampliou a vazão bombeada de 300 litros pro segundo para 400l/s, num investimento aproximado de R$ 700 mil, entre obras, instalações e operação do sistema. Isso nos permitiu concentrar o abastecimento do sistema integrado de Vitória da Conquista com as águas do rio Catolé, reservando a barragem de Água Fria 2 para o acúmulo das águas, que chegaram com as chuvas ocorridas nos últimos três meses”.

O secretário informou também que a adutora de Gaviãzinho deve ser inaugurada nos próximos dias. O diretor de Segurança Hídrica da SIHS, Marcello Abreu, explicou que “a entrada em operação de Gaviãozinho é importante, pois significa a inserção de um novo manancial no Sistema Integrado de Abastecimento de Água de Vitória da Conquista, com potencial para cobrir 33% da necessidade total, reforçando a Segurança Hídrica da população”. “Ou seja, essa vazão de 200 l/s vai se somar à vazão atual de 400 l/s já captada no rio Catolé, completando o total de 600 l/s necessário ao abastecimento dos 310.000 habitantes”, como enfatiza o secretário.

Aliado a isso, é grande a expectativa em torno dos desentraves burocráticos em relação à Barragem do Catolé, que já teve seu projeto aprovado pelo Ministério das Cidades e processo de licitação lançado. A obra beneficiará 348,6 mil habitantes com investimento total de R$ R$ 204 milhões, sendo R$ 182 milhões para a construção do maciço e R$ 22 milhões em ações de sustentação. Localizada em Barra do Choça, possibilitará o armazenamento de 23,4 bilhões de litros de água, volume quatro vezes maior do que a capacidade de armazenamento da barragem de Água Fria II.

“Com mais este empreendimento, avançaremos substancialmente do ponto de vista do abastecimento humano, aliviando também a pressão sobre as captações para a produção no município de Barra do Choça”, ressalta Cássio Peixoto, reforçando que universalizar a água e saneamento básico está entre as principais metas do Governo do Estado.

Fonte: Ascom/Secretaria de Infraestrutura Hídrica do Estado (Sihs)