Cultura

19/06/2017 14:51

Projeto Afrotonizar prorroga inscrições para cursos gratuitos

O Projeto Afrotonizar, voltado para jovens negros, prorrogou até o dia 30 de junho as inscrições para oficinas sobre economia criativa, moda, cosméticos, gastronomia e audiovisual. A iniciativa acontece em quatro bairros de Salvador (Centro, Liberdade, Plataforma e Uruguai), tendo como objetivo potencializar os trabalhos já existentes nestas comunidades e o desenvolvimento de outros empreendimentos, assim como incentivar o crescimento socioeconômico e novos modelos colaborativos.  O projeto recebe apoio financeiro do Governo da Bahia, por meio do Fundo de Cultura

O público prioritário é composto por jovens e adultos negros com faixa etária entre 14 e 30 anos, que tenham interesse em desenvolver atividades e práticas formativas para a melhoria de vida da população em seus territórios. O projeto vai ficar durante uma semana em cada bairro, sendo de 3 a 8 de julho no Curuzu; de 10 a 15 de julho no Espaço Cultural Alagados; de 17 a 22 de Julho no Centro Cultural Plataforma; e de 24 a 29 de Julho no Centro Cultural Que Ladeira é Essa?. 

As oficinas serão realizadas no turno da tarde e ministradas pela idealizadora do projeto, Naymare Azevedo, assim como Luma Nascimento, também criadora do Circuito Rolezinho; Loo Nascimento, da Dresscoração; Larissa Fulana de Tal, do Coletivo Tela Preta; Angélica Moreira, do restaurante Ajeúm da Diáspora; e Mona Soares, da Ewé Cosméticos.

A iniciativa ainda tem apoio da Universidade Federal da Bahia (Ufba), do site Lista Negra - que conta histórias de vidas de empreendedores negros - e das lideranças comunitárias e organizações dos territórios onde as oficinas serão realizadas, como o bloco afro Ilê Ayiê, o Centro Cultural Que Ladeira é Essa?, a Rede de Protagonistas de Itapagipe (Reprotai) e o Movimento de Cultura Popular do Subúrbio (MCPS).

FCBA

Criado em 2005, para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia (FCBA) é gerido pelas secretarias de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz-BA). O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. 

Fonte: Ascom/Secult

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.