Lançado em março do ano passado, pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), o Mapa da Juventude visa reunir as organizações da sociedade civil dirigidas por jovens e que atuam na promoção de ações voltadas ao segmento. “A ideia é que funcione como um mapa mesmo, para que as pessoas conheçam e possam usufruir das ações desses coletivos juvenis, além de criar uma rede integrada de atenção, acolhimento e promoção de políticas inclusivas para a juventude”, explica o coordenador de Políticas para a Juventude da SJDHDS, Jabes Soares.

O Mapa já conta com 110 entidades registradas. “Nossa ideia é ampliar e agregar organizações de todos os Territórios de Identidade, afinal, é uma ferramenta que aproxima Governo e sociedade civil na construção e avaliação das políticas públicas para os jovens”, enfatiza Jabes Soares.

Ao aderir ao Mapa, as organizações precisam informar a quanto tempo existem, qual principal eixo de atuação, o número de pessoas atendidas, agenda de eventos e se têm ou não sede própria. O formulário está disponível no site da SJDHDS.

Em Salvador e Região Metropolitana, já são mais de 50 entidades, que trabalham com música, teatro, questão racial e de gênero, tecnologia da informação, religiosidade de matriz africana, direitos humanos, povos tradicionais, juventude rural, educação e ativismo político. A lista completa, da capital e interior, também pode ser acessada no site da SJDHDS.


Fonte: Ascom/ Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)

Leia mais:

Ações protagonizadas pela juventude serão mapeadas pelo Governo