O secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins, e a secretária de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, discutiram a reformulação do Projeto Viver. Coordenada pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), a iniciativa é um serviço especializado no atendimento a vítimas de violência sexual. 
No encontro, realizado na terça-feira (14), Carlos Martins apresentou uma proposta de minuta de uma nova formatação do projeto, que passaria a envolver, além da SJDHDS, as secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM), da Segurança Pública (SSP) e da Saúde (Sesab). Pela proposta, as quatro secretarias trabalharão em conjunto, com a SJDHDS e a SPM, voltadas ao acolhimento das vítimas. A SSP seguiria responsável pelas perícias, e a Sesab pelo atendimento médico, com fornecimento de medicamentos e demais ações de saúde.
“É necessário tocar esse projeto, mas atentando para a garantia da dignidade da mulher. Faremos um atendimento diferenciado: a vítima de violência precisa ser acolhida e passar por um tratamento, que vai da perícia ao acolhimento, feito por pessoas capacitadas para lidar com esse tipo de situação”, destacou Martins. 
Julieta Palmeira elogiou a proposta e fez indicações para a minuta. “Esse ponto da capacitação das pessoas é fundamental. A mulher, que é vítima de violência, passa por uma peregrinação e precisa ser cuidada. Essa parceria entre secretarias será fundamental para cuidarmos melhor dessas pessoas” afirmou. 
Ainda entre as ações propostas para reformulação do projeto, estão a reabertura do Viver no bairro de Periperi, que serviria como casa de acolhimento. Além do acolhimento e do atendimento médico, com a distribuição gratuita de coquetéis para doenças sexualmente transmissíveis e pílulas do dia seguinte, as vítimas poderão contar com equipes de advogados, assistentes sociais e psicólogos.
Os secretários de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e da Saúde, Fábio Villas Boas, também receberão cópia da proposta de minuta do projeto para análise e, em seguida, o grupo levará a proposta definida para apreciação do governador Rui Costa.
Fonte: Ascom/SJDHDS