Sabe aqueles recados tipo “missão secreta”, em que, no final do texto, vem a informação “essa mensagem se autodestruirá em ‘x’ segundos”?. Pois bem, um show musical vai ser realizado em Salvador no próximo dia 24. As atrações, local e horário somente serão divulgados poucos momentos antes. Essa é a proposta do Sofar Souds, movimento musical surgido em Londres, há 9 anos, que realiza sua terceira edição na capital baiana, com o apoio do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), por meio do Edital Setorial de Música 2016.

O evento já marcou presença em 35 países e mantém a característica de guardar em segredo as informações sobre o show que tem vagas limitadas, máximo de 120 pessoas, podendo acontecer em locais inusitados, como a sala de uma residência, uma loja ou uma galeria. Segundo o produtor executivo, Ricardo Rosa, da Ruffo, em outras edições participaram artistas como Cascadura, Sertanília, Ifá Afrobeat, Adelmo Casé, Prince Addamo, Sandyalê, Du Txai, Adrea Martis e grupo ‘O Pulo’, entre outros artistas, que estão se destacando na cena local, mas também podendo aparecer novidades.

sofar sounds
Show tem vagas limitadas, podendo acontecer em locais inusitados como uma loja ou uma galeria.
(Foto: Heder Novaes)

Os interessados têm até esta sexta sexta-feira (17) para acessar o site do projeto e seguir o roteiro de inscrição para garantir presença. Segundo Ricardo Rosa, serão oito edições, este ano, em Salvador, e nenhuma delas está programada, nem pode ser divulgada. “O público faz a inscrição e recebe a confirmação com a sugestão de contrapartida de colaboração. Até 48 horas antes do evento é confirmado horário e local das apresentações. É uma experiência musical interessante e o objetivo é contemplar o resultado e fazer parte dele”.

O público é convidado a participar dos eventos via internet e faz uma contribuição voluntária recebendo em troca brindes como adesivos, playlists em MP3, CDs, vinis, ecobags, almofadas, camisetas entre outros, de acordo com o valor da contribuição. “Essa foi a maneira encontrada pelo projeto para diferenciar o Sofar de um show comum. Não há venda de ingressos, nem bilheteria.

O público é estimulado ao consumo cultural, fugindo da relação comercial tradicional de um evento de música em que se troca dinheiro por um ingresso. Este projeto funciona à base de colaborações voluntárias”, explica o produtor. Cada show tem duração de 25 minutos onde o publico é convidado a assistir às apresentações acomodados e em silêncio. Saiba mais no site da Secretaria de Cultura do Estado (Secult).

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)