Em uma noite de homenagens ao poder transformador da música, o programa Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba), iniciou na noite de quinta-feira (23), no Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, a série de ações em comemoração aos dez anos de atuação no estado. As atividades que acontecerão ao longo de 2017, foram apresentadas pelo maestro fundador do projeto, Ricardo Castro, e pelos secretários estaduais de Comunicação (Secom), André Curvello, de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins, e de Cultura (Secult), Jorge Portugal.

neojiba
Este ano serão realizados oito concertos, cada um com um  tema central, retratando o Neojiba.
Fotos: Pedro Moraes/GOVBA

Oito concertos serão executados ao longo deste ano. Cada um terá um tema central, que será o fio condutor para a escolha das obras e das formações musicais integrantes dos 12 Núcleos do programa, como explica Ricardo Castro. “É uma série temática. São concertos que trazem retratos do Neojiba para o palco do teatro mais importante do Bahia, dando oportunidade para que esses jovens se apresentem aqui e mostrem suas qualidade e aptidões. Uma chance também para as famílias apreciarem seus meninos e assistirem ao resultado do trabalho que estamos realizando há 10 anos”.

NEOJIBA

O concerto de abertura das comemorações, ‘Alma Brasileira’, foi dedicado aos 130 anos de Heitor Villa-Lobos, um dos principais musico-educadores. O secretário Jorge Portugal, acredita que o Neojiba tem uma importância de transformação na realidade das pessoas e ampliação de seus horizontes. “A arte humaniza as pessoas, desenvolve o potencial de cada indivíduo. Esse projeto, sem dúvida nenhuma, vem fazendo isso pelos jovens da Bahia. São dez anos plantando no coração deles a possibilidades de chegar em lugares não imaginados em toda a vida”, afirmou.

Ao todo, 339 jovens participaram das apresentações. Para muitos, a chance de tocar no TCA foi a realização de um sonho, como é o caso do violoncelista Peter Almeida, 19 anos. “É uma noite inesquecível, tocar nesse palco que recebeu tantos grandes artistas. Por eu digo, pra mim, mais do que tudo, o Neojiba representa uma mudança de vida. Trabalhar com música é algo lindo, e é o meu maior desejo. Desde que eu comecei a fazer parte do programa muita coisa mudou para mim. Aprendi não apenas o valor da música, mas que é possível ter uma renda fazendo algo que amo”.

Desenvolvimento social

Criado em 2007 como um dos programas prioritários do Governo do Estado, o Neojiba, uma ação da SJDHDS, tem por objetivo promover na Bahia o desenvolvimento e a integração social, prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos. Os núcleos beneficiam cerca de 4.600 crianças, adolescentes e jovens em todo o estado.

NEOJIBa
Programa oferece alternativas de futuro aos jovens que moram em bairros de vulnerabilidade social.

Para o secretário de Justiça, Carlos Martins, o programa é mais que um instrumento de estímulo à cultura, mas uma ferramenta de desenvolvimento social. “Nós trabalhamos nas áreas de vulnerabilidade social. Mais de 80% dos jovens que participam dos projetos são negros e estão morando em bairros de vulnerabilidade social. É um programa que busca reduzir a violência e oferecer alternativas de futuro aos jovens que moram nessas comunidades e de qualificação profissional. Eu acredito que o programa Neojibá tem tudo para se tornar uma referência nacional também como um programa social”.

neojiba

Programação

A partir de abril, os 11 Núcleos de Prática Orquestral e Coral do programa irão circular pelos espaços públicos, comunitários e instituições da rede de proteção aos bairros onde atuam. Em maio, a violinista suíça Chiara Banchini se apresenta em Salvador acompanhada por integrantes do Neojiba. A orquestra Juvenil da Bahia fará concertos em festivais em São Paulo e Belo Horizonte. Em outubro, uma apresentação na Concha Acústica reunirá membros do projeto num grande concerto.

Repórter: Tacio Santos