Os alunos do Colégio Estadual Raymundo Matta, no bairro do Lobato, em Salvador, já estão acostumados com a visita de três policiais militares da Ronda Escolar, vinculada ao Comando de Policiamento Especializado da Polícia Militar. Inseridos na rotina dos jovens, eles estiveram na unidade escolar nesta terça-feira (7), quando conversaram com professores e alunos. 
Com o início do ano letivo, o colégio é uma das instituições da capital e região metropolitana que passam novamente a receber o trabalho desses homens e mulheres. Eles trabalham com a prevenção à violência, apostando na aproximação com a comunidade como a melhor forma de promover cidadania dentro das escolas.
Sediados no bairro de Pernambués, os policiais da Ronda trabalham diariamente, das 7h às 22h, sempre em grupos de três em cada viatura, no entorno e dentro das escolas. Eles abrangem uma área onde funcionam 285 escolas estaduais, além de instituições municipais e particulares. A equipe atua na prevenção, com visitas orientadas voltadas aos gestores escolares, palestras sobre drogas e outros assuntos para os adolescentes, estabelecendo uma relação de confiança e segurança com os alunos. Os policiais estão preparados também para a mediação de conflitos envolvendo estudantes e membros da comunidade escolar.
Para participar da Ronda Escolar, os PMs passaram por capacitação específica, em áreas como policiamento comunitário, policiamento comunitário escolar, aspectos jurídicos da abordagem policial e mediação de conflitos. Para Jadson Feitosa, estudante do 1º ano do Colégio Raymundo Matta, a realidade mudou muito desde o início da Ronda Escolar. “Eu cheguei aqui com 9 anos, hoje tenho 18 e percebo o quanto a realidade tem mudado para melhor, não só para o colégio, mas para toda a comunidade do entorno, que também se sente mais segura. Os policiais fazem um trabalho muito efetivo”. 
Foto: Elói Correa
Os policiais atuam no entorno e dentro das escolas das redes estadual, municipal e particular
(Foto: Elói Corrêa/GOVBA)
Sensação de segurança
De acordo com a diretora do colégio, Mariju Costa, a parceria com a Polícia Militar tem dado certo. “Aqui, trabalhamos juntos com a PM e conseguimos demonstrar que a polícia não é violenta, truculenta. Polícia aqui chega como cidadã e como parte da educação dos nossos alunos”, explica a diretora. 
Segundo o coordenador adjunto da Ronda, capitão Telmo Carvalho, o trabalho dentro da comunidade escolar é bem recebido, mas é necessário também um reforço maior dentro de casa. “Orientamos e damos suporte, alimentando o sonho desses alunos para que eles consigam o que desejarem através da educação. E eles precisam que as famílias acreditem e incentivem isso também. O gestor da escola dá todo apoio educacional, e a polícia promove as palestras, tentando reinserir valores, reforçando a questão da disciplina, enaltecendo a cidadania. O jovem precisa chegar em casa e, no ambiente familiar, encontrar esse tipo de assistência para completar esse ciclo, que fará com os jovens e adolescentes tenham, na vida, o sucesso que merecem”, afirma o capitão. 
Repórter: Anna Larissa Falcão