O Ministério da Integração Nacional aprovou um investimento de R$ 3,4 milhões para construção de adutora de Queimadas/Santaluz, na região nordeste da Bahia. Com isso, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs), beneficiará mais de 50 mil pessoas que dependem desse sistema. Implantado na década de 80, o sistema tem como manancial o Rio Itapicuru, cuja baixa disponibilidade hídrica representa risco iminente de colapso. A expectativa da Sihs é de que a intervenção, de responsabilidade da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), esteja concluída em 45 dias.  
De acordo com o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, o caráter emergencial se dá por conta dos períodos prolongados de estiagem na Bacia Itapicuru, que são recorrentes e afetam diretamente a capacidade de produção do sistema. “Principalmente por causa do volume reservado da Barragem Leste, insuficiente para manter o abastecimento por um período superior a 30 dias se não houver continuidade de vazão na montante, o que pode ocasionar forte restrição de oferta ou até mesmo suspensão total do fornecimento de água”, afirma, ressaltando que técnicos da Embasa acompanham a situação de perto há meses.  
O Sistema Integrado do Sistema de Abastecimento de Queimadas/Santaluz atende às sedes dos dois municípios, além dos distritos de Rio do Peixe de Queimadas, Coxos, Olga Benário, Povoado Cajueirinho, Campo de Avião, Gregório, Cancelas, Fazenda de Cima II e Petrolândia, Rio do Peixe de Santa Luz, Claras, Rua da Palha, Campo de Aviação, Cajueiro, Duzinho, Caldeirãozinho, Boa vista, Falcão, Junco I, Junco II, Povoado do Rose, Vargem Funda, Caruaru, Povoado de Quixaba, Tanque do Simão, Açude da Tapera, Mucambinho e Morro do Lopes. Ao todo são cerca de 14 mil ligações, que correspondem ao atendimento a cerca de 57 mil pessoas.

Fonte: Ascom/Sihs