Com unidades atuando nos circuitos Barra/Ondina (Dodô) e Centro (Osmar), os policiais da Operação Ronda Maria da Penha já atenderam mais de 1.500 pessoas nos seis dias de festa. Durante esse período, duas pessoas foram presas em flagrante e 36 palestras instrutivas realizadas. Mais preparados para identificar e interferir em casos de violência contra a mulher, os policiais militares detectaram, 12 episódios de ataques contra mulheres. Das sete ofensivas ocorridas no circuito Dodô (Barra/Ondina), três no Osmar (Campo Grande) e duas no Batatinha (Pelourinho), apenas seis vítimas formalizaram a ocorrência.

Para a comandante da unidade, major PM Denice Santiago, mais mulheres estão confiando na atuação da polícia durante a folia. Identificados pelo braçal rosa que ostentam, os PMs da Ronda Maria da Penha, recebem apoio também dos outros mais de 25 mil profissionais de segurança espalhados nos trajetos da folia.

Os postos do Ronda Maria da Penha funcionarão até esta Quarta-feira de Cinzas, no Vale dos Barris (Osmar) e no Instituto Pestalozzi (Dodô). “Nos próximos anos esperamos levar o atendimento para o circuito Batatinha e para os carnavais de bairro”, afirmou a comandante. Na tarde de segunda (27), o grupo acompanhou o desfile do trio sem cordas ‘Respeite as Mina’, a partir do Campo Grande. Durante o trajeto, os policiais atenderam uma mulher que sofreu uma agressão no desfile de um bloco de pagode. A ação foi programada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM).

Fonte: Ascom/Secretaria da Segurança Pública da Bahia