Para garantir a paz e a segurança durante o carnaval, 46 portais de segurança estão montados nos principais acessos aos circuitos. A partir desta quinta-feira (23), os espaços da festa serão monitorados em tempo real por profissionais do Centro de Operações e Inteligência – 2 de Julho. Além de controlarem a entrada de objetos nos circuitos Dodô, Osmar e Batatinha com a ajuda de detectores de metal, a estrutura de segurança também conta com câmeras acopladas que permitem o acompanhamento das entradas e saídas da folia.

De acordo com o major Borges, é importante que os foliões fiquem atentos e não levem alguns itens para as ruas. “As pessoas devem evitar traze tesoura, faca, pau de selfie, objetos que por pessoas mal intencionadas podem ser utilizados como armas. Nós estamos aqui retirando todo esse tipo de material de circulação. Nós fazemos abordagens tentando identificar armas, facas, tesouras para evitar que entrem objetos que apresentem riscos para a sociedade. Fechando esse cinturão dos acessos aos circuitos, a gente garante que o folião vai brincar o carnaval de forma segura”, afirmou.

Investimento

Para o carnaval deste ano, o investimento na segurança foi de mais de R$ 43 milhões em pessoal, tecnologia e infraestrutura. A estrutura montada vai contar com vídeo monitoramento através de 250 câmeras, mais de 25 mil profissionais, além de postos espalhados pelos circuitos da folia. Agentes com tablets e smartphones vão utilizar estes equipamentos para repassar imagens ao Centro de Operações, e a estrutura de segurança vai contar ainda com apoio de imagens aéreas.

Outro destaque neste ano é a estreia do simulador de ocorrências, software que traça o diagnóstico do que deve ser promovido de imediato pela segurança pública nos casos de ocorrências em locais com multidões. O aplicativo permite a avaliação rápida sobre os aparatos efetivos necessários para sanar algum tipo de incidente na folia.

Repórter: Tácio Santos