O circuito Osmar (Campo Grande) foi invadido pela inconfundível batida de samba-reggae do Olodum, na tarde desta terça-feira (28) de Carnaval. Com antigos sucessos, como ‘Protesto Olodum’, ‘Rosa’ e ‘Nossa Gente’, o grupo afro é acompanhado pelos foliões pipoca. “Sabemos das dificuldades econômicas do país. Por isso, o Olodum agradece o apoio do Governo do Estado, que nos possibilitou fazer esta festa bonita para a multidão”, afirmou o vocalista Matheus Vidal. 
Para a esteticista Edna Brito, que foi acompanhar a pipoca do Campo Grande, estar perto dos artistas e poder ver tudo de perto é a melhor parte dos trios sem cordas. "Todo ano tem que ser como 2017: cheio de atrações boas puxando a pipoca. Porque isso aproxima mais as pessoas, não divide o público com as cordas. Todo mundo brinca junto nas ruas, como tem que ser. Tomara que continue assim, na paz. Esta é a pipoca mais tranquila que já vi", destacou a esteticista. 
Neste Carnaval, o Olodum pede permissão às divindades e apresenta o tema ‘O Sol – Akhenaton: Os Caminhos da Luz’, em homenagem aos 30 anos do primeiro álbum do grupo: ‘Egito Madagascar’. Primeiro disco de samba reggae do mundo, ele foi lançado em 1987, com a aclamada canção ‘Faraó Divindade do Egito’, lembrada pelo Olodum na passagem pelo Campo Grande.
Repórter: Anna Larissa Falcão