Catadores de resíduos sólidos receberam, nesta sexta-feira (24), kits com camisa, calça, botas, luvas e protetor auricular para trabalhar nos circuitos do Carnaval. O apoio é do Governo do Estado, por meio do projeto O Trabalho Decente Preserva o Meio Ambiente, que beneficia 1.500 catadores nos sete dias da folia. Ao todo, são investidos R$ 800 mil das secretarias do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

“O objetivo do projeto, além da estrutura para o trabalho, é oferecer dignidade para essas pessoas, que têm no Carnaval uma oportunidade de fazer renda extra”, destacou a titular da Setre, Olívia Santana.

Os catadores também recebem água e refeições diárias nas centrais de apoio, que funcionam na Ladeira da Montanha, Dois de Julho, Politeama, Barra, Ondina (dois postos) e Nordeste de Amaralina. No local, é efetuada a compra do material coletado pelos trabalhadores avulsos, praticando preços justos.

Há oito anos, a vendedora ambulante, Cristiana Cruz, 40 anos, aproveita o Carnaval para ganhar um dinheiro extra com a coleta de latinhas. ““Com fardamento, além da proteção, a gente é mais respeitado, tem acesso aos blocos e recebe ajuda do folião, que entrega as latinhas na nossa mão”, conta Cristiana, que faz até R$ 1 mil durante a festa.

“Além do investimento na segurança e saúde, é fundamental olhar para o lado social também durante a festa”, afirmou o secretário da SJDHDS, Carlos Martins, ressaltando a importância da ação com os catadores de materiais recicláveis durante o Carnaval, uma das muitas ações sociais do Governo do Estado durante a maior festa de rua do planeta.

Fonte: Ascom/Setre