Em quatro dias de Carnaval, as forças de segurança estaduais já conduziram 2.086 pessoas para postos policiais montados no circuito. Entre elas, 51 ficaram presas e foram autuadas em flagrante. Os dados foram divulgados na reunião de avaliação, envolvendo as instituições que atuam na folia, nesta segunda-feira (27), no Quartel dos Aflitos. 
"A condução serve para que a polícia apure melhor a situação de uma determinada pessoa. Muitas vezes, descobrimos, através de consulta, que contra ela existe um mandado de prisão em aberto, ou qualquer outro tipo de pendência judicial", explicou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa. Em outros casos, lembra Barbosa, a medida é necessária para que os envolvidos sejam ouvidos e a situação fique esclarecida. 
No domingo (26) foram registrados 16 roubos, 120 furtos, 17 lesões corporais, além de dez criminosos capturados. Entre eles Fernando da Cruz, que tinha mandado de prisão. Um adolescente de 16 anos foi apreendido em flagrante após agredir com um objeto perfuro cortante Jaílton dos Santos, 34, em Ondina. A vítima, que tinha duas passagens por roubo e furto, foi socorrida, mas não resistiu. 
Ouvido na Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI), em Brotas, o agressor, que já tinha passagem na unidade por tráfico de drogas, disse que a morte ocorreu em decorrência de rixa entre facções. Testemunhas afirmaram que o jovem utilizou um caco de vidro para cometer o crime, o que será confirmado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).
Foto: Divulgação/SSP
(Foto: Divulgação/SSP)
Também no circuito Dodô (Barra-Ondina), Tarcísio Santos de Lima foi agredido por um objeto cortante, socorrido e não corre risco de morte. Os dois casos ocorreram durante a passagem do bloco Projeto Especial Broder, puxado pela banda Lá Fúria, diferente da programação oficial, que previa a apresentação do grupo Oz Bambaz. 
"Nós continuamos batendo na tecla de que o Carnaval não pode ser conduzido de forma amadora, sem planejamento. Há uma diferença muito grande entre o perfil dos foliões que seguem uma banda e outra e a polícia prepara o seu esquema levando em conta várias situações e esta é uma delas", afirmou o comandante de Operações Policiais Militares, coronel Paulo Uzêda.
Mais cedo, no circuito Osmar (Campo Grande), foi conduzido para averiguação, após  desentendimento com uma guarnição da PM, o jornalista Felipe Tomaz Sant’ana. Ele foi ouvido na Central de Flagrantes e liberado, assim como os policiais envolvidos na situação. O colega dele, Bruno Aversa Dellalata, teve um ferimento no supercílio e está em observação no Hospital Aliança; ele prestará depoimento assim que liberado.  A Polícia Civil já instaurou um inquérito para apurar o caso e iniciou a ouvida de testemunhas que presenciaram o fato.
Fonte: Ascom/SSP