Resultado de dissertações de mestrado, a publicação revela o olhar científico dos educadores sobre temas muito próximos às suas realidades de trabalho, como a Educação e infância, a Educação de Jovens e Adultos, Educação e Diversidade, a Gestão Escolar e a Mobilidade Social, a Arte Educação e as Novas Tecnologias e a Educação não formal e o futebol.

A produção científica de 16 professores das redes públicas estadual e municipal foi transformada no livro ‘Educações: Novos olhares velhas demandas’. Resultado de dissertações de mestrado, a publicação revela o olhar científico dos educadores sobre temas muito próximos às suas realidades de trabalho, como a Educação e infância, a Educação de Jovens e Adultos, Educação e Diversidade, a Gestão Escolar e a Mobilidade Social, a Arte Educação e as Novas Tecnologias e a Educação não formal e o futebol. A coletânea foi lançada, na terça-feira (10), no auditório da Secretaria da Educação do Estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

A proposta, segundo os organizadores, é contemplar as discussões sociais no espaço escolar. “São discussões bastante interessantes, que vão, desde se pensar Educação em uma perspectivas dos conflitos da religiosidade dentro da sala de aula, a perpassar pelas novas propostas dentro da Educação Infantil, com o olhar mais voltado para esse cuidar e educar, até a Educação dentro do espaço da escola, no que diz respeito à questão física. Foi um livro pensado para essa diversidade que está ai presente”, explica uma das organizadoras, Deyse Luciano Santos.

O também organizador do livro, Jurandir Araújo, disse que o livro “atende a todo público envolvido com o processo educativo. Os autores são todos educadores, que terminaram o mestrado em Educação, cada um com sua inquietação. Tem desde o espaço da Educação não formal ao espaço de Educação formal e a temática é diversificada, passando por temas como sexualidade, religiosidade e gestão democrática, entre outros”.

Érica Capinan, coordenadora da Educação para a Diversidade da Secretaria da Educação destacou a importância de publicações como esta. “Só tenho a agradecer por profissionais tão seletos entenderem que é importante que esse capital intelectual não fique engavetado, que a gente possa cada vez mais se desafiar para lançar exemplares como este”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado