Nesta segunda-feira (10), Dia Mundial da Saúde Mental, o Planserv – Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais – comemora os bons resultados do seu Programa de Saúde Mental, que no ano passado atendeu a uma média de 5,4 mil pacientes com sofrimento psíquico. Iniciado há quase oito anos, a iniciativa tem proporcionado aos pacientes e a seus familiares um tratamento humanizado, contribuindo para melhorar a qualidade de vida.

Os resultados são atestados pelos próprios pacientes. A aposentada Constança Souza, 72 anos, estava em depressão profunda, mas desde que passou a ser acompanhada por equipe multidisciplinar através do programa, teve uma evolução surpreendente. Segundo sua filha, Roberta Souza, consultas a excelentes profissionais e o desenvolvimento de atividades como teatro, dança, pilates e palavras cruzadas foram responsáveis pelo que classifica como “recuperação fantástica” da mãe.

Como funciona

No nível ambulatorial, o beneficiário do Planserv com sofrimento psíquico leve a moderado é acompanhado através de psicoterapia e consultas psiquiátricas, reduzindo a demanda por serviços de urgência/emergência e internações psiquiátricas. Oito clínicas estão credenciadas neste nível de atenção, com mais de 90 profissionais cadastrados.

Já o beneficiário com sofrimento psíquico grave e persistente recebe acompanhamento multiprofissional diário e aberto em hospital-dia. Além disso, a família também recebe suporte, com atendimento multidisciplinar. “A participação da família é muito importante. Os familiares precisam entender o processo pelo qual o paciente com transtorno está passando, para que possa ajudá-lo da melhor forma possível”, explicou a coordenadora de Gestão de Projetos de Saúde (CGPS), Ângela Nolasco.

Como último recurso terapêutico, para os beneficiários com transtorno mental grave que vivenciam um momento de crise, o programa disponibiliza a internação psiquiátrica, que oferece acompanhamento multiprofissional, oficinas terapêuticas, atendimento psiquiátrico e psicológico, assistência de enfermagem e assistência social, visando a estabilização dos sintomas e retorno ao convívio social o mais breve possível.

Fonte: Ascom/Secretaria da Administração do Estado (Saeb)