Após retomada de posse pelo Estado, a Praça das Artes, no Pelourinho, passou por diversos reparos e foi reaberta ao público nesta terça-feira (11). Dentre as melhorias realizadas, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) realizou retirada de lixo e entulho, limpeza e lavagem de pisos, escadas e paredes, além de religações elétricas, serviços hidráulicos, recapeamentos de pisos e paredes, fixação de cercamentos e grades.

A reabertura da praça contou com programação artístico-educativa, com exibição de vídeos do Laboratório de Educação Digital da Diretoria de Museus (Dimus) e apresentação itinerante da Fanfarra do colégio estadual Azevedo Fernandes, além de performances da Orquestra Museofônica – Afoxé Agogô de Lata, com participação especial do Balé Jovem e da Escola Olodum.

O diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira, comenta sobre a reabertura do equipamento para o público. “A Praça das Artes é mais um espaço de ocupação pública, e queremos que as pessoas se apropriem deste espaço. Vamos buscar parcerias pra trazer eventos, atividades culturais em mais um espaço que agrega essa relação qualitativa de apropriação do espaço público pra Salvador”.

Os equipamentos estavam depredados antes da retomada de posse pelo Governo do Estado. Infiltrações, falta de manutenção hidrossanitária, inexistência de escoamento, ausência de lâmpadas e instalações elétricas comprometidas, disjuntores em desuso e falta de sistema de prevenção e combate a incêndio, além da inexistência de sinalizações, aparelhos extintores e outros equipamentos. Vários pontos das estruturas em concreto armado (lajes e vigas) estavam comprometidos, com ferragens em corrosão, desprendimento do concreto e portões metálicos danificados.

Estacionamentos

Além da praça, serão reabertos simultaneamente na próxima sexta-feira (14), três estacionamentos no Pelourinho, aumentando a oferta de vagas da região para 296 automóveis e 60 motos nos três equipamentos, promovendo conforto e segurança aos frequentadores.

O diretor do Ipac, João Carlos de Oliveira comemora a reabertura dos três estacionamentos. “Os estacionamentos do Centro Histórico têm que ser produtos integrados à vida natural da população de Salvador. Temos visto nos últimos anos uma separação do Centro Histórico do restante da cidade. Isto é um grande equívoco para qualquer centro do mundo. Reabrimos os equipamentos demonstrando o nosso interesse em atrair a população, tornando-os locais acessíveis”, diz.

Fonte: Ascom/ Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac)