Neste mês de outubro o Museu Udo Knoff, em Salvador, dá início a treinamentos de monitores para pessoas com deficiência Intelectual. A diretora do Centro de Educação Especial da Bahia (CEEBA), Alzira Castro foi a palestrante na primeira das atividades. “Em 2016 já inserimos 100 jovens no mercado de trabalho. Estamos quebrando paradigmas e mostrando como é possível uma pessoa com deficiência intelectual trabalhar, estudar e construir uma família e, por isso, podem ser atendidas adequadamente em um museu também”, afirmou Alzira durante o evento.

Oficina

‘Desmistificando a Deficiência’ foi o título da palestra realizada na ultima terça-feira (4). Em clima de bate-papo, foram abordados assuntos como educação e primeiro emprego. A palestra é resultado de parceria entre o CEEBA e o Museu Udo, que durante todo este mês de outubro oferecerá oficinas para jovens. Alzira, que é formada em pedagogia, falou sobre a importância da parceria para a instituição, que hoje tem cerca de 600 alunos. A palestra foi finalizada com uma frase que fez a plateia repensar questões sobre a deficiência: “A barreira atitudinal exclui o aluno, o cidadão”.  A matéria completa pode ser acessada no site do Ipac.

Fonte: Ascom/ Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)