Motivada a agilizar a realização de exames em pacientes internados no Hospital Geral do Estado (HGE), mas que precisam ser feitos fora da unidade hospitalar, a servidora da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) Rutinéia Cardoso, desenvolveu o Serviço de Exames e Procedimentos Externos (SEPE). Em pleno funcionamento há cinco anos, o SEPE superou as expectativas e deve ser utilizado em outras unidades hospitalares da Bahia. Depois da implantação do serviço, procedimentos que demoravam até dois meses para serem realizados, agora são feitos em no máximo 10 dias.

Mais conforto aos pacientes, mais tranquilidade aos familiares e mais economia para os cofres estaduais, pois, com a redução do tempo de permanência no leito, além de abrir novas vagas para internação, o serviço ajudou a diminuir a possibilidade de complicações decorrentes da exposição hospitalar. Em 2014, a iniciativa rendeu a Rutinéia o 4º lugar no Prêmio de Boas Práticas, desenvolvido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria da Administração (Saeb). Motivo de orgulho para a assistente social que ingressou na área da saúde há 23 anos, como auxiliar de enfermagem. “Eu penso que independente da tarefa que a pessoa desempenhe, você pode fazer algo novo. A intenção maior foi tentar solucionar essa questão do hospital. Hoje, em vez de fazer reclamações na Ouvidoria [sobre a demora na realização de exames e procedimentos], as pessoas ligam para fazer elogios. Isso é muito gratificante”, comemora.

Tecnologia para a segurança pública

Quem também se destacou no prêmio de boas práticas e conquistou o segundo lugar foi o delegado da Polícia Civil Jorge Figueiredo, quando ele ainda era diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Há dois anos, ele teve a ideia de criar um aplicativo para celulares com sistema operacional android em que qualquer cidadão pudesse ajudar a polícia baiana a localizar criminosos de alta periculosidade (traficantes, homicidas e assaltantes de banco) e também pessoas desaparecidas por meio de fotos. Logo no primeiro ano (2014), foram registrados mais de trinta mil downloads através deste link .

Atualmente à frente do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), Jorge se sente realizado por ter contribuído ainda mais com a segurança pública do Estado. “Enquanto servidor, me sinto muito feliz em ver pessoas procuradas, foragidas da justiça sendo capturadas com a ajuda do aplicativo. Enquanto cidadão, o que mais me emociona é ter a oportunidade de poder ver pessoas que estavam desaparecidas sendo localizadas”.

Contrapartida

O desenvolvimento de soluções que melhoram o desempenho de órgãos públicos ou empresas privadas tem sido cada vez mais incentivado pelos gestores. No dia 10 de novembro será realizada mais uma edição dos dois prêmios de valorização profissional: de Boas Práticas de trabalho e o Servidor Cidadão. Dois projetos que promovem desde a melhoria do ambiente de trabalho até a atuação voluntária de funcionários públicos na sociedade. Ao todo, serão R$ 74 mil em premiações. Para a especialista em gestão de pessoas Tânia Benevides, a proatividade dos funcionários e o incentivo das instituições devem estar em sintonia. “É muito relevante construir essa via de mão dupla para que efetivamente a empresa ou instituição ganhe, porque melhora os seus processos, produtos, atendimento, mas também para que o colaborador entenda que aquele processo de modificação, traz uma contrapartida para ele. Porque gera o processo de desenvolvimento. E a medida em que vamos melhorando, contribuindo e retroalimentando este processo, nós, enquanto trabalhadores, nos tornamos mais eficientes, eficazes com mais referências”.

Premiação

O Prêmio de Boas Práticas está na 8ª edição e é concedido aos servidores públicos estaduais que desenvolvam ações para promoção de um ambiente de trabalho decente, com estimulo à criatividade, produtividade, eficiência, economicidade e à melhoria da qualidade do serviço público.
Esta é a 14ª edição do Prêmio Servidor Cidadão, concedido aos servidores públicos estaduais que, de forma voluntária, desenvolvem ações ou projetos para melhoria da qualidade de vida e da prestação de serviços, bem como o estímulo à cultura, capacitação profissional e à formação educacional.

Para o diretor de valorização e desenvolvimento de pessoas da Saeb, Alberto Queiroz, ao valorizar as iniciativas que partem do funcionalismo, quem ganha é a sociedade. “Quando alguém chega a um hospital e encontra um servidor valorizado, ele vai ser muito melhor atendido. Quando seu filho vai para a escola, o professor vai atendê-lo bem. Valorizando o servidor, temos um serviço público mais eficiente, mais eficaz”, explica.

Repórter: Jhonatã Gabriel