Temas ligados às questões étnico-raciais estão presentes na Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), aberta na quinta-feira (13), com ampla programação para diversos públicos. Na Casa Educar para Transformar, instalada pelo Governo do Estado, na Praça da Aclamação, a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), iniciou a série de lançamentos de livros de autoria de pesquisadores, militantes e lideranças do movimento negro. A iniciativa faz parte das ações da Década Internacional Afrodescendente, com o objetivo reconhecer e dar visibilidade às contribuições da população negra nas artes e na literatura.

Uma das primeiras publicações divulgadas foi o livro ‘Meu Caminhar, Meu Viver’, da makota Valdina Pinto, uma autobiografia que registra a infância e juventude da líder religiosa, nascida no bairro de Engenho Velho da Federação, em Salvador. Reconhecida pelo seu trabalho no combate ao racismo e às intolerâncias contra religiões de matriz africana, ela documentou na obra boa parte de sua luta e missão.

Flica sepromi
Makota Valdina Pinto e o historiador Marcos Santana autografam livros na Casa Educar para Transformar

“Falo da minha trajetória. Uma mulher negra nascida em bairro pobre, que tornou-se educadora e militante. Os valores que foram transmitidos a mim podem atravessar gerações. É um incentivo aos jovens negros para que escrevam sobre os ensinamentos dos mais velhos, mantendo tradições e buscando a boa convivência com a diversidade”, disse Valdina.

O historiador Marcos Santana, autor de ‘Mãe Stella de Oxóssi: Estrela nossa, a mais singela’, relata com poemas e imagens a história da líder espiritual do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, também localizado na capital. “É um registro importante sobre o perfil biográfico e datas importantes de mãe Stella, que também é escritora e ingressou na Academia Baiana de Letras. A nossa presença na Flica é uma grande oportunidade de divulgar o belo trabalho desenvolvido por esta religiosa”, afirmou o autor, pouco antes da roda de conversa que realizou com educadores, estudantes e população que visitava o espaço.

Nesta sexta-feira (14) a programação terá prosseguimento. A partir das 17h, estão previstos lançamentos dos livros ‘As Vinte e Uma Faces de Exu na Filosofia Afrodescendente da Educação’, do professor da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Emanoel Luís Soares, além dos livros ‘Pretinha de Ébano’ e ‘A Fada Dia e o Duende Mante’, da pedagoga Kalypsa Britto. Mais detalhes da programação estão no site da Sepromi.

Fonte: Ascom/Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi)