No mês em que se comemora o dia do/a professor/a (15 de outubro), a comunidade escolar presta, por meio de uma série de reportagens especiais, uma homenagem aos professores e professoras que cumprem um papel importante na vida dos estudantes. O professor Delmaci Ribeiro, do Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Góes, em Catu, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), é um destes profissionais que fazem diferença na educação e na vida dos alunos.

Por meio do projeto ‘Clube de História’, o professor Delmaci tem contribuído para promover a cidadania e o reconhecimento da cultura afro-brasileira como parte integrante da identidade dos estudantes. Criada há dois anos, a ação busca atrair os alunos para o debate da política e temas referentes à valorização afrodescendente através uma prática educativa informal.

A estratégia do professor tem dado certo. “O projeto mudou a minha forma de ver a política e a cultura negra. Antigamente não me importava com nada referente ao assunto, mas a partir do momento que comecei a integrar o Clube de História, em junho, pude perceber a importância da nossa participação no contexto social”, destaca Bianca Santos, 20 anos, estudante do 1º ano. Ela acrescenta que “minha postura referente aos estudos mudou. Não tinha quem me fizesse pegar em um livro de História, mas agora tenho vários em casa para ler”.

Foto: Divulgação
O resultado das pesquisas é apresentado em feiras escolares e municipais
(Foto: Divulgação)

Inicialmente foram realizadas pesquisas sobre o perfil de políticos e dos vereadores nas últimas duas décadas no município. Depois foi incluída a temática da cultura afrodescendente, abordando temas como a capoeira, a Lei 10.639/03 e o ensino da história e da cultura afro-brasileira nas escolas públicas, a imposição do padrão de beleza e a intolerância religiosa. O resultado das pesquisas, baseada na iniciação científica, é apresentado em feiras escolares e municipais.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação